Kai Pfaffenbach / Reuters
Kai Pfaffenbach / Reuters

Árbitro do ouro olímpico da seleção no Rio apitará o 3º jogo do Brasil na Copa

Na Copa, iraniano Alireza Faghani apitou a partida entre Alemanha e México na primeira rodada

Leandro Silveira, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2018 | 10h14

A Fifa anunciou nesta segunda-feira que o iraniano Alireza Faghani será o árbitro do último jogo da seleção brasileira na fase de grupos da Copa do Mundo, o duelo de quarta com a Sérvia, às 15 horas (de Brasília), em Moscou, no Spartak Stadium. Ele terá os compatriotas Reza Sokhandan e Mohammad Mansouri como seus auxiliares. O bareinita Nawak Shukralla e o tunisiano Anou Hmila completam o quinteto escalado pela entidade.

+ Tite deve mudar escalação da seleção brasileira para jogo contra a Sérvia

+ Sérvia tenta aproveitar pressão em cima do Brasil: 'Não temos nada a perder'

+ Rodízio de capitães de Tite dá o que falar na Copa do Mundo

Fagahani, de 40 anos, utiliza a insígnia de árbitro Fifa desde 2008 e traz boas lembranças ao torcedor brasileiro. Em 2016, foi o iraniano que apitou a final dos Jogos do Rio, quando a seleção conquistou a até então inédita medalha de ouro olímpica com a vitória nos pênaltis sobre a Alemanha, após empate por 1 a 1, no Maracanã. Antes, ele havia trabalhado em outros dois jogos do Rio-2016, um deles do Brasil, a goleada por 4 a 0 sobre a Dinamarca.

Faghani já apitou nesta edição da Copa do Mundo naquele que foi um dos mais surpreendentes resultados da competição até aqui, na vitória do México por 1 a 0 sobre a Alemanha, quando distribuiu quatro cartões amarelos, sendo dois para cada equipe e marcou 25 faltas, sendo 15 cometidas pela equipe da América do Norte.

No ano passado, Faghani também trabalhou na Rússia, na Copa das Confederações, tendo apitado dois jogos, sendo uma das semifinais, a que o Chile eliminou Portugal nos pênaltis, depois de empate por 0 a 0.

 

Além disso, Faghani possui no seu currículo a decisão do Mundial de Clubes de 2015, em que o Barcelona derrotou o River Plate por 3 a 0, com dois gols do uruguaio Luis Suárez e um de Lionel Messi - os brasileiros Daniel Alves e Neymar participaram daquela final.

As duas partidas do Brasil na Copa do Mundo tiveram polêmicas de arbitragem. Na estreia, o empate por 1 a 1 com a Suíça, a equipe reclamou de falta em Miranda no gol da equipe adversária e de um suposto pênalti não marcado em Gabriel Jesus pelo mexicano César Arturo Ramos. Depois, na vitória por 2 a 0 sobre a Costa Rica, o holandês Bjorn Kuipers chegou a marcar um pênalti em Neymar, mas recuou na decisão após consulta ao árbitro de vídeo, sendo que a partida ainda estava empatada em 0 a 0.

Líder do Grupo E, com quatro pontos e com vantagem nos critérios de desempate para a Suíça, o Brasil precisa de um empate com a Sérvia, que está com três pontos, para avançar às oitavas de final da Copa. A seleção chega ao confronto em Moscou com três jogadores pendurados com um cartão amarelo: Casemiro, Philippe Coutinho e Neymar. Os dois atletas do setor ofensivo foram advertidos por reclamação no duelo com os costarriquenhos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.