Árbitro erra e Palmeiras perde o jogo e a cabeça no Palestra

Alviverde leva 1 a 0 em duelo em que José Buitrago não vê a bola entrar e anula gol de pênalti com paradinha

André Rigue, estadao.com.br

22 de outubro de 2008 | 23h59

SÃO PAULO - Os jogadores do Palmeiras não vão esquecer tão cedo o nome do árbitro colombiano José Buitrago. Numa atuação desastrosa, o juiz deixou de validar um gol de Léo Lima em cobrança de falta, mandou voltar uma cobrança de pênalti com paradinha de Diego Souza e ainda criou um clima tenso no jogo, que terminou com briga entre os jogadores do alviverde e do Argentinos Juniors.   Paulo Pinto/AE Meia Diego Souza levou cartão amarelo por cobrar pênalti com paradinha no Palestra Itália Veja também: Resultados e calendário da Copa Sul-Americana Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Ouça o gol do jogo pela Rádio Eldorado/ESPN Bate-Pronto: Paradinha no pênalti, vale ou não?   Com isso, o Palmeiras foi derrotado no Palestra Itália por 1 a 0 na primeira partida das quartas-de-final da Copa Sul-Americana. Agora, o alviverde precisará vencer o duelo de volta, no dia 5 de novembro, por um gol de diferença, desde que faça dois na casa do adversário - triunfo por 1 a 0 leva a decisão para os pênaltis.  Nesta quarta-feira, o técnico Vanderlei Luxemburgo deixou claro que a prioridade é a conquista do Campeonato Brasileiro - pega o Fluminense neste sábado. Mesmo assim, o clube trouxe alguns titulares para o duelo. Marcos, Roque Júnior, Diego Souza e Léo Lima reforçaram a equipe, que ainda teve a estréia do zagueiro Paulo Miranda, destaque da base. O Palmeiras, que enfrentou o Argentinos Juniors pela primeira vez na história, começou bem o jogo e deu a impressão de que colocaria uma grande pressão no primeiro tempo. Logo aos 6 minutos, Fabinho Capixaba recebeu passe de Denilson e cruzou na medida para Thiago Cunha. O atacante, no entanto, falhou na conclusão. Depois do lance, o Palmeiras sucumbiu à rigorosa marcação imposta pelo técnico Nestor Gorosito, ex-jogador da seleção argentina. Diego Souza e Léo Lima encontravam dificuldades para conseguir ligar Thiago Cunha e Denilson. Assim, o alviverde só assustou em bolas paradas, principalmente nas cobranças de falta na entrada da área. No clássico contra o São Paulo, Alex Mineiro cabeceou uma bola no gol de Rogério Ceni - a pelota pegou na trave e pingou na linha. Desta vez, um lance parecido ocorreu, só que com a bola entrando. Aos 18 minutos, Léo Lima cobrou falta e acertou o travessão. No quique, a bola pingou dentro da meta de Torrico, mas o árbitro colombiano José Buitrago não deu o gol. Ainda nesse lance, a bola, após quicar dentro do gol, voltou para a área e sobrou para Thiago Cunha. O jogador meteu a cabeça e acertou novamente o travessão superior do goleiro Torrico. À beira do campo, Luxemburgo foi ao desespero, principalmente pela não marcação do gol - os jogadores também protestaram ao final do primeiro tempo. Com o erro da arbitragem, o Argentinos Juniors aproveitou para reforçar ainda mais a marcação. O time, que revelou Maradona para o futebol mundial, não teve o ataque como prioridade. A única vez que os argentinos chegaram foi aos 39 minutos, e com perigo. Pavlovich lançou nas costas de Roque Júnior. Hauche recebeu e saiu na cara do gol - Marcos salvou. PARADINHA E PANCADARIANo segundo tempo, Vanderlei Luxemburgo decidiu mudar o Palmeiras. O técnico tirou Thiago Cunha e Fabinho Capixaba para colocar Evandro e Maicosuel, na tentativa de aumentar o volume ofensivo. As alterações deram resultado e o alviverde passou a chutar mais contra a meta do goleiro Torrico. Aos 14 minutos, Diego Souza chutou de longe e o goleiro argentino espalmou. No rebote, Evandro encheu o pé e Escudero colocou a mão na bola dentro da área: pênalti. Na cobrança, o próprio Diego Souza cobrou, com paradinha - o colombiano Buitrago deu amarelo para o palmeirense por ter feito a parada e mandou voltar.  Efe Clima ficou quente ao final do duelo e jogadores de Palmeiras e Argentinos Juniors trocaram agressões O lance irritou os palmeirenses. Na cobrança da segunda penalidade, o goleiro Torrico se adiantou (e muito) e pegou a cobrança de Diego Souza. Buitrago validou o lance e mandou o jogo seguir. O novo erro da arbitragem, que já não tinha visto a bola entrar no primeiro tempo, tumultuou o jogo.  Palmeiras0Marcos; Gladstone    , Roque Júnior e Paulo Miranda; Fabinho Capixaba (Maicosuel), Jumar (Lenny), Léo lima, Diego Souza     e Jefferson; Denílson     e Thiago Cunha (Evandro    )Técnico: Vanderlei Luxemburgo Argentinos Jrs1Torrico; Scotti (Fleitas), Caruzzo    , Sabia; Prósperi    , Mercier, Ortigoza, Escudero e Quiroga (Recalde); Hauche (Diaz) y Pavlovich    Técnico: Nestor GorositoGols: Escudeiro, aos 21 minutos do segundo tempoÁrbitro: José Buitrago (Colômbia)Renda: R$ 125.470,00Público: 7.286 pagantesEstádio: Palestra Itália, em São PauloPara complicar ainda mais a situação, o Argentinos Juniors marcou aos 21 minutos. Em contra-ataque, o lateral Escudero, que pode jogar no Corinthians na próxima temporada, recebeu passe e entrou dentro da área. O jogador tocou cruzado no canto de Marcos - ele comemorou subindo num trator atrás do gol. E como é tradicional na escola argentina, o Argentinos Juniors se fechou e praticou o antijogo para deixar os jogadores do Palmeiras nervosos - o time brasileiro teve dois expulsos (Evandro e Gladstone), justamente, por entrarem na onda dos rivais. O resultado foi que o time alviverde não conseguiu colocar a bola para o fundo das redes e o Argentinos Juniors levou a vantagem para o jogo de volta. Ao final do duelo, jogadores de Palmeiras e Argentinos Juniors trocaram empurrões e socos, devido ao clima tenso criado pelo árbitro. "A gente tem de perder como profissional. Eles vieram, ganharam o jogo e acabou", declarou Denílson, irritado com a briga. "A gente não pode perder a cabeça. Temos condições de ganhar lá e vamos ter de pensar só no futebol", afirmou o goleiro reserva, Bruno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.