Árbitro norueguês espera chance de voltar a apitar

O árbitro norueguês Tom Henning Ovrebo diz que já conseguiu retomar um ritmo de vida normal, depois de receber ameaças de morte dos torcedores do Chelsea, e espera ser escalado para voltar aos campos no fim de semana e para apitar uma partida do Campeonato Norueguês.

AE-AP, Agencia Estado

13 de maio de 2009 | 10h57

"Espero que não receba nenhuma atenção especial, nem antes nem depois do jogo", afirmou o juiz, em entrevista ao jornal local Verdens Gang. Ovrebo foi muito questionado pela atuação no jogo contra o Barcelona, na semana passada, pelas semifinais da Liga dos Campeões, após o empate por 1 a 1 que eliminou o Chelsea.

Jogadores e torcedores do time inglês acusaram Ovrebo de não marcar quatro pênaltis durante a partida. O meia Ballack e o atacante Drogba foram os mais ostensivos, e podem ser punidos pela Uefa, que ainda está analisando o caso.

Ovrebo, que tem 42 anos e é psicólogo, diz que está tentando retomar a vida, embora ainda sinta que é apontado eventualmente pelas pessoas ao andar nas ruas de Oslo. "Estou trabalhando, visitei minha família, por ora está tudo bem e não vale a pena falar mais sobre o assunto", disse o juiz, que já venceu cinco vezes o prêmio de melhor árbitro de seu país e está entre os pré-selecionados para a Copa do Mundo de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLiga dos CampeõesChelsea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.