Árbitro que anulou gol dos EUA deve ser afastado da Copa

Coulibaly não explicou aos jogadores porque não validou o gol de Maurice Edu, aos 41 minutos do 2.º tempo

Jamil Chade, Agência Estado

19 de junho de 2010 | 16h37

O árbitro que apitou a partida entre Estados Unidos e Eslovênia deve ser retirado da Copa do Mundo. Koman Coulibaly, do Mali, invalidou um gol legítimo da seleção norte-americana, que daria a vitória à seleção da América do Norte por 3 a 2. O juiz, que apita pela primeira vez um jogo de Copa, terá de explicar sua decisão ao comitê de arbitragem da Fifa.

Veja também:

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador |

No jogo da última sexta-feira, Coulibaly não explicou aos jogadores porque não validou o gol de Maurice Edu, aos 41 minutos do segundo tempo. O bandeirinha não havia dado impedimento e o árbitro africano ignorou o pedido de explicação por parte dos jogadores da seleção dos Estados Unidos. Pelas regras da Fifa, os juízes são obrigados a apresentar um relatório a cada jogo. Mas não precisariam explicar suas decisões.

Segundo a entidade, uma avaliação será feita ao final da primeira fase para definir quais árbitros seguirão no Mundial. Se ficar comprovado que o árbitro cometeu um erro, ele não deve continuar a apitar. A meta da Fifa é a de apagar os erros de arbitragem das últimas Copas e tentar limitar o impacto de polêmicas.

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.