JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Árbitro que errou em Corinthians x Palmeiras volta a apitar na Série A-3

Thiago Duarte Peixoto foi escalado para jogo entre Monte Azul e Taboão da Serra

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2017 | 18h16

Afastado pelo departamento de arbitragem da Federação Paulista de Futebol desde 22 de fevereiro, quando expulsou o volante Gabriel de maneira equivocada no clássico entre Corinthians e Palmeiras, o árbitro Thiago Duarte Peixoto foi liberado para voltar ao apito, mas terá de recomeçar pela Série A-3.

Ele foi escalado para apitar o jogo entre Monte Azul e Taboão da Serra, no domingo, às 10h, no estádio Otacília Patrício Arroyo. A partida é válida pela volta da fase de quartas de final. No jogo de ida, na semana passada, empate por 1 a 1.

Na época do afastamento, o diretor de arbitragem da FPF, Dionísio Domingos, considerou que faltou flexibilidade ao árbitro na tomada de decisão. A orientação é que, em lances como o que aconteceu no clássico, ele tem de se isolar, conversar com os auxiliares e voltar atrás se for necessário.    

Thiago até se dirigiu aos auxiliares, mas, pressionado por corintianos e palmeirenses, não pôde entender que ambos falavam do carrinho e não do puxão na camisa. O auxiliar Emerson Augusto de Carvalho e o quarto árbitro, Alessandro Darcie, indicaram que não era Gabriel que deu o carrinho em Keno, enquanto o árbitro tinha convicção de que era Pablo. Por isso, expulsou Gabriel em vez de Maycon, já que o segundo cartão amarelo foi aplicado pelo puxão na camisa do atacante do Palmeiras.

Por não ter sido um erro não foi técnico, apesar de confundir o jogador que cometeu a infração, Thiago foi encaminhado para a área de psicologia, que faz parte da nova configuração do departamento de arbitragem. O problema foi detectado, combatido e, após 64 dias de afastamento, ele está liberado para atuar novamente. 

O árbitro de 38 anos era uma das principais apostas do diretor de arbitragem para o Campeonato Paulista deste ano. Thiago estava avaliado como 'nível superior' entre os 22 árbitros que estão aptos para apitar na Série A-1. Agora, com o erro no clássico, ele terá de recuperar terreno nas divisões inferiores. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.