Árbitro que sacou arma em jogo será indicado para quadro da CBF

Federação Mineira defende Gabriel Murta em confusão

Renan Fernandes, O Estado de S. Paulo

30 de setembro de 2015 | 18h53

A confusão protagonizada pelo árbitro Gabriel Murta, que sacou uma arma durante a partida de um campeonato amador da cidade de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, não vai impedir sua indicação ao quadro da CBF.

O presidente da comissão de arbitragem da Federação Mineira, Giuliano Bozzano, explicou que Murta não será punido, defendeu sua atitude no jogo entre Amantes da Bola e Brumadinho e disse que o jovem, de 27 anos, tem muito potencial.

'Ele não vai ser punido. A Federação Mineira tem uma psicóloga que atende semanalmente o Gabriel. Nós já temos o perfil dele traçado e reunindo as informações do fato com o que conhecemos dele, concluímos que a medida foi justa.'

Depois de uma confusão em campo, que acabou com a expulsão do lateral Peão, o juiz  foi até o vestiário e voltou com uma arma de fogo. Não existia policiamento no local e o árbitro, que é policial militar, teve que ser contido por seus auxiliares.

'Ele tem porte de arma e é bem treinado pela policia militar mineira. Ele repeliu uma ação de agressão, foi para o vestiário, pegou a arma e depois tentou prender o agressor, que fugiu', explicou Bozzano. 'O Gabriel é jovem e tem muito potencial. Ele teve bons jogos e estava mapeado para ser indicado por mim à CBF. Acho que vou manter a indicação'.

No boletim de ocorrência registrado na 215ª companhia da PM de Brumadinho, Murta disse que se sentiu acuado pelos atletas e que também foi agredido. 

Bozzano, ex-árbitro da CBF e filho do também árbitro Dalmo Bozzano, alertou que o descontrole dos atletas nas partidas amadores podem ser reflexo do que está acontecendo na elite do futebol brasileiro.

'Lamento que os jogadores (que agrediram árbitros) voltem a atuar tão rápido. Estamos dando um mal exemplo. Eu acho que esse tipo de medida tomada nos tribunais criam uma tendência negativa que acaba refletindo na ponta mais fraca, que é o futebol amador'. 

Petros, do Corinthians, e Dudu, do Palmeiras, foram dois atletas punidos recentemente por agredirem árbitros, mas depois tiveram suas penas reduzidas. Mais recentemente, o zagueiro Werley, do Santos, deu uma peitada no quarto árbitro do clássico contra o Corinthians depois de ser expulso.

Tudo o que sabemos sobre:
CBF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.