Árbitro reconhece erro e Rosario Central pede para repetir final contra Boca

'Estou sem dormir, sem ânimo', afirma Diego Ceballos. Rosario quer novo jogo

EFE

05 de novembro de 2015 | 19h02

O árbitro Diego Ceballos, que foi criticado pela polêmica atuação na final da Copa Argentina vencida por 2 a 0 pelo Boca Juniors, confessou que errou e pediu desculpas nesta quinta-feira, o que motivou o Rosario Central a pedir uma repetição da decisão do torneio.

"Olhando as imagens me dei conta do erro e peço desculpas. Estou sem dormir, sem ânimo. É o maior erro da minha carreira", disse Ceballos em entrevista coletiva.

Aos 7 minutos do segundo tempo da final, o árbitro marcou pênalti a favor do Boca Juniors em falta sofrida por Peruzzi fora da área, que Nicolás Lodero converteu em gol.

Depois, aos 44 minutos, Andrés Chávez recebeu passe em posição duvidosa e ampliou a conta da equipe xeneize, para decretar a vitória e o título sobre o Rosario Central.

"Não foi pênalti. Sou um ser humano, não um robô. Estava convicto que era pênalti. Se não, não teria assinalado", acrescentou Ceballos.

Na opinião de Luciano Cefaratti, vice-presidente do Rosario Central, "a partida contra o Boca Juniors tem que voltar a ser disputada".

"Vamos pedir que se volte a jogar. Não só o Rosario Central, mas o futebol argentino está pedindo que esta partida seja disputada de novo. Queremos que a partir daqui seja feito um ponto de inflexão no futebol argentino, que se tome uma decisão histórica e inédita. O mais justo seria que este partido voltasse a ser jogada", comentou.

De acordo com o presidente da Associação do Futebol Argentino, Luis Segura, "um erro do árbitro influenciou no resultado", declarou.

Quem também entrou na polêmica foi a filha de Diego Maradona, Gianinna Maradona, que se defendeu em seu perfil na rede social Twitter após ser criticada por comemorar o título do Boca Juniors.

"Meu pai fez um gol com a mão e o país inteiro comemorou", escreveu, em referência ao histórico gol de Maradona na vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra pela Copa do Mundo de 1986. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.