Árbitros paulistas condenam máfia

Os árbitros paulistas sentiram um ?desconforto? ao apitarem os jogos do último final de semana. A divulgação do escândalo envolvendo o árbitro Edílson Pereira de Carvalho na armação de resultados incomodou a todos. Nesta terça-feira, na sede do Sindicato dos Árbitros do Estado de São Paulo, 11 deles redigiram uma nota oficial, reprovando o comportamento do colega.?Ele (Edílson) comprometeu toda a classe. Os árbitros são pessoas sérias. Todo ano, apresentam várias certidões negativas e atestados de emprego?, reclamou José de Assis Aragão, presidente da Associação Nacional dos Árbitros (Anaf), que também esteve presente no evento.Edílson Pereira de Carvalho já foi excluído dos quadros da Federação Paulista, da CBF e da Fifa. Ele também foi expulso do Sindicato e da Anaf.Paulo César de Oliveira, falando em nome do grupo de árbitros, prometeu empenho. ?Vamos nos esforçar para diminuir os erros, porque agora todos os erros serão colocados em dúvida depois dessas denúncias?, admitiu o árbitro, que espera que as investigações apurem todos os envolvidos: ?É preciso investigar e punir todos os responsáveis. Todos os árbitros colocam-se à disposição para ajudar.? Os assistentes Márcio Luiz Augusto e Francisco Rubens Feitosa, citados por Edílson Pereira de Carvalho em seu depoimento na Polícia Federal, participaram do evento, mas não deram declarações. ?Por orientação dos advogados, ele só se pronunciarão num eventual depoimento?, explicou José de Assis Aragão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.