Arce acredita na força do Palmeiras

O Palmeiras troca de treinador, reformula o elenco, investe em reforços, mas o time, na hora do aperto, continua dependendo do mesmo jogador: Arce. A vitória sobre o América por 4 a 3, hoje, no Palestra Itália deve-se à atuação do lateral-direito paraguaio, que, com suas jogadas manjadas, mas eficientes, ajudou o Alviverde a afastar a crise a assumir a liderança isolada do Torneio Rio-São Paulo. Além de ter feito dois cruzamentos, que resultaram nos primeiros dois gols do Palmeiras na partida, Arce ainda teve a frieza para fazer 3 a 2 em cobrança de pênalti. Após marcar o gol, o lateral desentendeu-se com os jogadores do América, que o provocaram antes de o lateral cobrar o pênalti. Jackson foi quem mais mexeu com o lateral. Arce disse que o adversário o xingou, por isso ele partiu para cima e levou cartão amarelo pela atitude. Arce chegou a temer a derrota no momento em que o América fez 1 a 0. "Nossa equipe realmente estava intranqüila, principalmente, no primeiro tempo, talvez por causa da desclassificação da Copa do Brasil. Mas foi importante o espírito de luta de todo mundo. Ninguém se entregou e conseguimos os três pontos que colocam o time em posição de destaque na competição", analisou Arce, que ainda deu trabalho para o adversário em uma cobrança de falta. O lateral afirmou que o Palmeiras tem tudo para conseguir a classificação, e numa posição privilegiada. Mas ressaltou que ainda falta adversários difíceis pela frente. "Temos jogos contra o Corinthians, São Paulo, disputas tradicionais, mas é claro que o Palmeiras tem tudo para fazer uma grande campanha", disse Arce. O técnico Vanderlei Luxemburgo admitiu que a desclassificação da Copa do Brasil influiu no rendimento do Palmeiras. O treinador achou natural a reação da torcida, principalmente no fim do primeiro tempo, e no momento em que o América fez 1 a 0. Nessa hora, a torcida chamou o Alviverde de timinho. "Nós só vamos realmente crescer na competição, no momento em que o time esquecer de vez a Copa do Brasil. Não me incomodo com as críticas, tenho muito tempo no futebol, e escalo o time que entender ser o melhor no momento", disse o treinador, que não se prendeu especificamente aos 4 a 3. "A vitória foi apertada, mas valeu pelos três pontos e pela liderança", disse Luxemburgo. "A torcida ainda está revoltada, mas eu como profissional tenho de esquecer a Copa do Brasil e pensar no Rio-São Paulo, competição na qual o time está bem colocado, e tem chance de ganhar". Marcos admitiu que falhou no primeiro e no terceiro gol do América, mas ressaltou que goleiro está mesmo sujeito a esses tipos de erros. "Mas felizmente as falhas não influíram no resultado. O time reagiu e conseguiu a vitória. Temos de comemorar os 4 a 3, porque os três pontos nos levaram à liderança da competição. Daqui para frente temos de esquecer de vez o problema que tivemos na Copa do Brasil." Fora da competição nacional, o Palmeiras, nesta semana, terá agora de se preocupar com o jogo contra o Fluminense, domingo, no Palestra Itália. Nessa partida, os jogadores e a comissão técnica esperam ter o apoio da torcida para o time tentar mais três pontos e manter-se na liderança do Rio-São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.