Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Arena Corinthians não terá teste com lotação máxima antes da Copa

Corinthians x Botafogo, domingo, receberá 40 mil pessoas. Arquibancadas provisórias do setor Norte não serão utilizadas

Paulo Favero, Thais Arbex, Vítor Marques e Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2014 | 07h45

SÃO PAULO - A Fifa lida com um dilema na Arena Corinthians. Ao mesmo tempo que a entidade precisa testar as arquibancadas provisórias, que ainda não foram usadas e uma delas nem foi aprovada pelos Bombeiros, ela também sabe que não tem tempo para fazer outros eventos até o início da Copa do Mundo, e o estádio vai para o jogo de abertura com parte da estrutura sem ter sido usada.

Nesta quinta-feira, o Corinthians viu ser vetado o uso da arquibancada provisória do lado norte e só colocou à venda 40 mil ingressos – na Copa, serão cerca de 60 mil bilhetes a cada jogo, sem contar os oito mil Vips e convidados. A quantidade de público foi exigência do governo do Estado. Com isso, o teste do fim de semana será apenas de um lado e a arena vai para o Mundial sem ter sido testada plenamente.

A demora em entregar o estádio fez com que o Corinthians tivesse apenas laudos e alvarás provisórios. A 13 dias da abertura da Copa, a arena ainda não tem alvará de funcionamento para receber os jogos do Mundial. A informação foi confirmada ontem por Francisca Aguera Aguera Aono, supervisora de fiscalização da subprefeitura de Itaquera, em depoimento à CPI do alvarás da Câmara Municipal de São Paulo. “Quanto à licença de funcionamento, até a presente data, não tem.”

Segundo o vereador Eduardo Tuma, presidente da comissão, a situação mostra que “existem falhas brutais, tanto no licenciamento, quanto na fiscalização dos alvarás na cidade.” Em nota, a Prefeitura afirmou que será emitido hoje um alvará provisório “de autorização de evento para o jogo” e que o alvará para a Copa será emitido “logo na sequência”, embora também provisório. Ainda de acordo com a Prefeitura, o alvará definitivo do estádio só será emitido após o Mundial, “depois que forem realizadas as adequações para retorno ao projeto original aprovado da obra”.

NA BRONCA

Na cúpula da Fifa, a situação do estádio tem sido uma preocupação central nas últimas semanas e os cartolas vem pressionando tanto as autoridades da prefeitura quanto até mesmo Brasília e o Corinthians para “resolver o problema”. Mas a Fifa insistia que os testes e jogos precisavam acontecer, mesmo sem o alvará.

“Por isso é que sempre dissemos que queríamos o estádio no dia 4 de janeiro, e não em maio”, confirmou uma fonte do Comitê Executivo da Fifa, que pediu anonimato. “Não era uma data porque somos chatos. Era uma data confortável para permitir que tudo estivesse em ordem”, insistiu.

O assunto da liberação do alvará acabou envolvendo os principais dirigentes da Fifa e estava sendo tratado como “sigilo absoluto” dentro da entidade. Oficialmente, a Fifa apenas tomou distância dos problemas, apesar de ter exigido a realização do evento-teste. “É um jogo de campeonato nacional e organizado pela CBF e o clube. Não temos mais nada a adicionar”, indicou a entidade ao Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014CorinthiansItaquerão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.