Arena Corinthians terá jardim com espelho d’água e fontes

Com projeto paisagístico feito pelo arquiteto John Loomis, idealizador do Burj Khalifa, em Dubai, entorno ganhará árvores após a Copa do Mundo

Paulo Fávero, O Estado de S. Paulo

31 Maio 2014 | 07h37

SÃO PAULO -  O Corinthians contratou a empresa norte-americana SWA, a mesma que fez o projeto paisagístico do Burj Khalifa, maior prédio do mundo em Dubai, para fazer a criação do entorno de seu estádio em Itaquera. O renomado arquiteto John Loomis desenhou o lado de fora do emblemático prédio nos Emirados Árabes e também pensou em como deixar a arena brasileira mais bonita, possibilitando uma experiência agradável para o torcedor.

“O paisagismo se adequa à linguagem da arquitetura”, explica Anibal Coutinho, do escritório Coutinho Diegues Cordeiro, que fez o projeto do estádio junto com o escritório DDG. Ele explica que Loomis é um especialista no assunto e que também participou do projeto do escritório do Google. As obras começam em agosto, após a Copa do Mundo, e vão até dezembro. O custo não foi divulgado, mas já está dentro do orçamento inicialmente previsto.

Como a Arena Corinthians tem grandes aberturas laterais – é um imenso vão livre –, um dos desafios era evitar que os faróis dos carros que passam perto do estádio incomodassem o público. Outro ponto era evitar a exposição invasiva de câmeras e máquinas fotográficas. Assim, foi pensado um bloqueio vegetal para fazer uma espécie de divisória ecologicamente correta. Com isso, foi criado um modelo de pavimentação externa e jardinagem, em que o ponto alto é uma rambla frontal, com espelho d’água que ajuda a formar uma nuvem de água que pode mudar de cor.

Outro detalhe é que o desenho do piso simula as listras da camisa 2 que o Corinthians já usou, que se articula com a iluminação do lado externo. O piso será em pedra de granito, com frisos que ajudam a drenar a água. Existem bancos e grandes jardins, sendo que o próprio complexo de mídia está imerso em um desses jardins. No lado de fora ainda será implantada a iluminação especial da fachada do prédio Oeste, que foi projetada pela empresa T. Kondos, dos Estados Unidos.

Apesar de os projetos serem feitos por escritórios internacionais, a execução será nacional. Vale lembrar que o Corinthians evitou a todo custo usar o verde em seu estádio e até fez pesquisas de algumas folhagens de outras cores. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.