Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Arena Corinthians vira aposta para Tite e jogadores resgatarem apoio

Brasil enfrenta a seleção peruana no estádio, no sábado, pela Copa América

Ciro Campos, enviado especial / Salvador, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2019 | 04h30

Vaiada no Morumbi e criticada em Salvador, a seleção brasileira torce agora para conseguir apoio dentro de um local tido como refúgio para vários integrantes do elenco e da comissão técnica. A Arena Corinthians, local do jogo jogo de sábado, contra o Peru, pela Copa América, é onde o técnico Tite foi ídolo e alguns jogadores se sentem em casa.

Depois do time se decepcionar e criticar o comportamento da torcida em Salvador, onde o Brasil empatou sem gols com a Venezuela, os jogadores lamentaram ter escutado o público torcer contra. “A gente espera apoio até o apito final e aí, de repente, a torcida começa a gritar ‘olé’ para o adversário. A gente não entendeu nada”, disse o atacante Richarlison.

Pelo menos no local do jogo de sábado, Tite se sentirá bastante acolhido. O reduto corintiano lhe propicia idolatria e reconhecimento pelos diversos títulos conquistados, em especial a Copa Libertadores e o Mundial de Clubes, em 2012. Anos depois, em 2015, a Arena Corinthians serviu de alicerce para o título do Campeonato Brasileiro.

Ao todo, Tite tem aproveitamento de 83% no estádio. Em 2017, pelas Eliminatórias, ele enfrentou o Paraguai na arena, ganhou por 3 a 0 e teve o nome entoado pelo público. Naquela mesma noite, o Brasil garantiria a vaga na Copa da Rússia horas depois do apito final, graças à vitória do Peru por 2 a 1 sobre o Uruguai, em Lima.

Semanas antes desse jogo, o treinador vivenciou um momento de emoção no estádio. Tite retornava pela primeira vez ao local e se acomodou em um camarote para ver a partida entre Corinthians e Santos, pelo Campeonato Paulista. O técnico da seleção comemorou de forma vibrante o gol marcado por Jô e ouviu ainda o público gritar seu nome.

A história dele no clube teve a companhia dos auxiliares Cléber Xavier e Matheus Bachi, seu filho. Ex-dirigente do Corinthians, Edu Gaspar agora trabalha na CBF, assim como outros membros do time alvinegro -- preparadores físicos, fisioterapeutas e analistas de desempenho.

Do elenco, os reservas Fagner e Cássio são nomes importantes do Corinthians. O titular Marquinhos foi revelado pelo clube em 2012, sob o comando de Tite. Os corintianos, assim como os demais jogadores do elenco, esperam que as vaias terminem no próximo sábado. “A torcida vem sempre para o estádio com a melhor expectativa de atuação e resultado. Somos profissionais, temos de trabalhar para o próximo jogo”, comentou o meia Fernandinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.