Arena é liberada para 30 mil pessoas

A intenção do Atlético-PR era ter uma arquibancada tubular para 16 mil torcedores e, assim, garantir a primeira partida da final da Libertadores na Arena da Baixada, já que a Confederação Sul Americana de Futebol (Conmebol) exigia a capacidade total de 40 mil torcedores. Apesar do esforço da diretoria e de cerca de 200 trabalhadores, a Conmebol marcou o jogo para o Beira-Rio, em Porto Alegre. Agora, a comissão de vistoria da Federação Paranaense de Futebol (FPF) deu o veredicto: as arquibancadas foram liberadas, mas apenas para cinco mil torcedores no clássico deste domingo contra o Coritiba. "Tendo em vista que há uma rivalidade e é um clássico regional, estamos liberando apenas para cinco mil pessoas", afirmou Cirus Itiberê, presidente da comissão. Na insistência dos repórteres em saber se poderia ter sido liberada para 16 mil torcedores na Libertadores, Itiberê desconversou, preferindo acentuar a segurança daquela estrutura. Ele não quis fazer uma avaliação definitiva sobre a capacidade prevista para aquele jogo, alegando que o próprio Atlético parou as obras depois do anúncio oficial do Beira-Rio e só a reiniciou na quinta-feira. Com essa nova ala, a Arena poderá receber até 30 mil torcedores, mas somente 20 mil ingressos foram colocados à venda para o clássico. A vistoria, que teve acompanhamento de policiais militares, do Corpo de Bombeiros e da FPF, demorou cerca de uma hora. A imprensa não pôde participar da análise, entrando somente depois de as conclusões terem sido divulgadas. Mas alguns operários ainda continuavam dando os últimos retoques. "Todos estão liberados, mas só cinco mil pessoas poderão entrar ali", acentuou Itiberê. Ainda não está definido se as arquibancadas serão retiradas depois da partida deste domingo, mas provavelmente isso ocorrerá em razão do alto custo do aluguel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.