Divulgação
Divulgação

Arena Pantanal perde construtora, mas Mendes Júnior garante obra

Uma das empresas que faziam parte do consórcio deixou a obra. No entanto, Secopa mantém entrega do estádio em outubro

Agência Estado

12 de março de 2013 | 08h00

CUIABÁ - A construtora Mendes Júnior passará a tocar sozinha as obras da Arena Pantanal, em Cuiabá, depois da saída da Santa Bárbara Engenharia do consórcio. Isso, no entanto, não deverá provocar atraso na obra. Pelo menos foi o que garantiu nesta segunda-feira, embora sob desconfiança, o secretário extraordinário da Copa do Mundo (Secopa) do Mato Grosso, Maurício Guimarães.

“A empresa Mendes Júnior assumiu a parte da Santa Bárbara no consórcio e tocará o empreendimento sozinha. Foi um acordo comercial entre as empresas e já está oficializado”, explicou Guimarães em entrevista coletiva.

A Santa Bárbara deixou o consórcio por causa da grave crise financeira que atravessa. Há, inclusive, fornecedores que paralisaram seus trabalhos na Arena Pantanal com a alegação de que não estavam recebendo.

Guimarães, porém, insistiu que os problemas da empresa não tiveram reflexos na obra e disse que a programação de entrega do estádio para outubro continua válida. “A saída da Santa Bárbara não altera as condições previstas contratualmente, como o valor da obra e o prazo de conclusão do estádio.’’

No entanto, há alguns meses a Fifa e o Comitê Organizador Local trabalham com a hipótese de entrega em dezembro.

Ao mesmo tempo em que o secretário concedia a entrevista, no canteiro de obras da Arena Pantanal acontecia uma reunião com os operários para informar a eles como ficará a administração da construção a partir de agora. E os responsáveis pela Santa Bárbara retiravam seu material do local, no processo de desmobilização do canteiro.

A Arena Pantanal tem custo estabelecido na Matriz de Responsabilidades em R$ 518,9 milhões. Até o momento, apresenta índice de conclusão de 62%, mas nos últimos meses o ritmo da obra caiu bastante. O estádio mato-grossense foi o primeiro dos 12 que serão utilizados na Copa de 2014 a ter as obras iniciadas.

No entanto, o valor da arena vai aumentar, pois ainda não foram feitas as licitações para a instalação dos assentos, o placar e a tecnologia da informação. O estádio terá capacidade para 44.336 torcedores e, no Mundial, vai receber três partidas da primeira fase.

Depois, deverá ser utilizado para eventos como shows, convenções e, principalmente, feiras agropecuárias, uma vez que o futebol no Estado não atrai bom público. Pelo menos esses são os planos dos responsáveis pelo governo do Mato Grosso.

A CBF tem uma ideia para ajudar a “encher’’ a arena em jogos de futebol. O plano é levar para Cuiabá jogos de equipes do eixo Rio-São Paulo pela Copa do Brasil e pelo Brasileiro. 

Tudo o que sabemos sobre:
Arena PantanalFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.