Arena Pantanal terá dinheiro do PAC para concluir obras

O governo do Mato Grosso está prestes a contrair um empréstimo de R$ 120 milhões na Caixa Econômica Federal para terminar as obras da Arena Pantanal, em Cuiabá, que receberá quatro partidas da Copa do Mundo do ano que vem. Detalhe: os recursos sairão da linha usada pela Caixa para financiar obras de contrapartida do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

JOÃO VILLAVERDE, Agência Estado

17 de julho de 2013 | 09h05

Segundo apurou a reportagem, o governo do Mato Grosso vai usar o dinheiro para pagar as empresas que venceram as duas últimas licitações para obras no estádio de futebol. O consórcio CLE, formado pela Canal Livre Comércio e Serviços Limitada e Etel Engenharia Montagens e Automações, vai receber R$ 98,3 milhões para implementar a área de tecnologia de informação (TI) da arena. Já a Kango Brasil receberá R$ 19,4 milhões para colocar os assentos. Tanto o CLE quanto a Etel foram contratados por meio do Regime Diferenciado de Contratações (RDC).

Esse recurso que o Estado do Mato Grosso espera obter com a Caixa está previsto, segundo informações da secretaria da Copa do governo estadual, no orçamento total de R$ 537 milhões para levantar a Arena Pantanal. A maior parte, ou R$ 440 milhões, saiu dos cofres estaduais para a construtora Mendes Júnior, responsável pelas obras.

Segundo informou o Ministério do Planejamento por meio de sua assessoria, os recursos da linha de financiamento C-PAC, solicitados pelo Mato Grosso à Caixa, não são oriundos do Orçamento Geral da União (OGU), mas do caixa do banco. Essa linha C-PAC é normalmente usada para financiar pequenas obras de Estados e municípios para complementar obras do PAC como hidrelétricas, rodovias e aeroportos.

A Caixa informou, por meio de nota, que a operação está em estudo desde 28 de maio, quando o Estado de Mato Grosso fez o pedido no banco. "Os parâmetros a serem utilizados na análise estão em fase de definição", afirmou a instituição financeira.

De acordo com a Secretaria da Copa do Mato Grosso, o governo estadual tem recursos próprios para honrar esses pagamentos, mas optou pelo financiamento, dada as condições de crédito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.