Argel é suspenso por expulsão e não poderá comandar o Inter no sábado

O Internacional vai ter um desfalque no banco de reservas para enfrentar o Joinville, sábado, às 18h30, no Beira-Rio. Nesta terça-feira, a Segunda Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou o técnico Argel Fucks pela expulsão na partida contra o Palmeiras, nas quartas de final da Copa do Brasil, e puniu o treinador com um jogo de suspensão.

Estadão Conteúdo

20 de outubro de 2015 | 19h45

Como o Inter já está eliminado da Copa do Brasil, a punição deverá ser cumprida na próxima partida do clube gaúcho no Brasileirão, neste domingo. Na derrota diante do time paulista, Argel foi expulso por invadir o gramado ao fim da partida e criticar o auxiliar Fabrício Vilarinho. De acordo com a súmula do árbitro Wilton Pereira Sampaio, o treinador disse: "Você viu o lateral e não marcou porque não quis, você não tem índole, você agiu de má fé".

Argel foi inicialmente denunciado por "ofensa", mas a denúncia foi desclassificada para "desrespeito". A defesa do treinador alegou que ele reclamou com o árbitro sem ofender e convenceu parcialmente o relator do processo, o auditor Nicolao Constantino Filho.

Mas a legislação esportiva brasileira não prevê punição por advertência para Argel, que é reincidente. Entre absorver e suspender por uma partida, o relator votou pela segunda opção.

"Argel é técnico do Inter e espelho para atletas e outros técnicos. Chegou ao topo da carreira. Diante disso não poderia absolvê-lo. Aplico a pena de uma partida de suspensão por não poder advertir", justificou Constantino Filho, cujo voto foi acompanhado por outros dois auditores. Um deles lembrou que, em dois anos, Argel já foi julgado nove vezes no STJD.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInterBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.