Argel vê atletas 'blindados' após dopings no Inter: 'Já sabíamos há 15 dias'

Após comandar treinamento do Internacional na manhã desta sexta-feira no CT Parque Gigante, o técnico Argel deu entrevista coletiva na qual falou pela primeira vez sobre o fato de que os volantes Nilton e Wellington foram flagrados em exames positivos para uso de doping, em casos revelados na última segunda-feira.

Estadão Conteúdo

13 de novembro de 2015 | 17h16

Naquela ocasião, o clube afirmou, por meio de nota, que "confia na inocência dos atletas e que já iniciou todos os procedimentos para fazer as suas defesas junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)", embora os resultados divulgados nesta segunda-feira já sejam das amostras ''B'' (contraprova).

E, ao falar sobre o caso, Argel revelou que já sabia das ocorrências dos casos de doping há mais de duas semanas, embora tenha admitido decepção com o problema, que acabou servindo para agitar o ambiente da equipe que hoje está na briga direta por uma vaga no G4 do Campeonato Brasileiro - é a sexta colocada, apenas um ponto atrás do Santos, que hoje fecha o grupo dos quatro primeiros colocados.

"O grupo e eu já sabíamos há 15 dias. Blindamos o vestiário. É uma situação chata, mas confiamos nos atletas. A parte jurídica fará a defesa. O que podemos fazer é passar tranquilidade e blindar ambos. Eles são importantes dentro da equipe. Faz parte. São coisas que ocorrem no futebol. O jurídico dará conta da situação para ser resolvida", afirmou Argel.

Entre os suspensos, Nilton foi pego em duas ocasiões em exames antidoping. Primeiro na partida diante do Corinthians, pelo Brasileirão, em 16 de setembro, que foi vencida pelo Inter por 2 a 1. Depois, diante do Palmeiras, em 30 de setembro, pela Copa do Brasil - o jogo terminou empatado em 1 a 1.

Já Wellington, que pertence ao São Paulo, foi flagrado na partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Palmeiras, em 23 de setembro. Na ocasião, ele e Nilton formaram a dupla de volantes do Inter, mas só o ex-são-paulino foi sorteado para fazer controle de doping - o Inter foi derrotado e eliminado da competição.

O treino que o Inter realizou na manhã desta sexta não contou mais uma vez com a presença do goleiro Alisson, que está com o Brasil para as Eliminatórias da Copa, e Valdivia, que serve a seleção olímpica. Rodrigo Dourado, com febre, fez um trabalho muscular na academia e acabou sendo liberado da atividade do campo. Os trabalhos serviram de preparação para o jogo contra a Chapecoense, na próxima quinta, às 19h30, em Chapecó, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInterArgeldoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.