Juan Mabromata/EFE
Juan Mabromata/EFE

Conmebol libera Argentina e outras seleções para ficarem em seus países durante a Copa América

Time de Messi ficará concentrado na cidade de Ezeiza e deverá entrar no Brasil apenas 24 horas antes de cada partida da competição; quem preferir montar CT nos Estados brasileiros está também liberado

Sérgio Neto e Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2021 | 16h05

Uma das participantes e eventuais favoritas ao título da Copa América, a seleção da Argentina não ficará hospedada no Brasil para a realização do torneio sul-americano. A Associação do Futebol Argentino (AFA, da sigla em espanhol) anunciou neste domingo que a delegação ficará concentrada na cidade de Ezeiza, na província de Buenos Aires. A Conmebol autorizou as nove seleções a ficarem em suas respectivas sedes durante a disputa e só entrar no Brasil 24 horas antes de cada partida.

A AFA confirmou que a equipe nacional recebeu autorização da Conmebol para isso e que ficará hospedada em uma de suas bases no próprio país. Segundo as regras que deverão ser cumpridas até o fim da competição, Lionel Messi e seus companheiros deverão chegar ao Brasil, obrigatoriamente, 24 horas antes de seus compromissos pelo torneio continental. A decisão cabe a cada país participante da competição: querer fazer o mesmo que a Argentina ou ficar no Brasil desde o primeiro jogo até o fim.

A Copa América tem sido bastante criticada, tanto mundialmente quanto no próprio País, devido à pandemia de covid-19. Nos Estados Unidos, o jornal The New York Times fez um amplo estudo sobre os perigos e irresponsabilidades de se hospedar o torneio em território brasileiro. No Brasil, manifestações tomaram conta de Brasília e até o senador Renan Calheiros, relator da CPI da covid-19, fez um apelo para que os jogadores não entrem em campo. A Copa América tem início previsto para o dia 13 deste mês.

A Argentina está no Grupo B, ao lado de Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai. Ao lado da Colômbia, o país vizinho rejeitou receber a Copa América. A equipe celeste estreia no Engenhão, dia 14, diante do time chileno. Reuniões entre membros do governo brasileiro e dos Estados onde haverá partidas (Goiás, Mato Grosso, DF e Rio), da CBF e da Conmebol estão sendo feitas desde terça-feira. Todos correm contra o tempo que montar esquemas para a disputa. A decisão evita que as seleções fiquem em hotéis no Brasil.  

A Seleção Boliviana também divulgou comunicado oficial em que confirma a participação no torneio, alegando que o esporte pode trazer felicidade ao continente em um momento difícil. Afirmou ainda que irá aplicar medidas sanitárias extras, além de aplicar as obrigatórias da Conmebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.