Argentina: atletas vítimas de extorsão

Os jogadores de futebol da Argentina estão sendo vítimas de extorsão, praticadas pelos chamados ?Barrabravas? - grupos de torcedores violentos apontados como os principais responsáveis por atos de vandalismo dentro e fora dos estádios de futebol do país. Segundo revelou o goleiro Laureano Tombolini, do Colón, de Santa Fé em entrevista à Rádio Del Plata, muitos atletas estão sendo obrigados a dar dinheiro a esses torcedores para ficarem livres de seqüestros ou agressões contra sí e seus familiares.De acordo com o goleiro, em ?todas? as equipes do futebol argentino os jogadores dão dinheiro aos ?barrabravas?. Tombolini conta que eles cobram por partida e passam nos clubes para retirar o pagamento. ?Ainda que ninguém queira admitir, em todos os clubes há coleta de dinheiro para esse fim. É que o se faz para se ter um pouco de segurança. Não sei o que aconteceria se um jogador se recusasse a pagar, mas o atleta pensa em sua família e abaixa a cabeça?, acrescentou o goleiro.?No caso do Colón se faz uma coleta antes de cada partida e se entrega o dinheiro ao capitão da equipe. Este, por sua vez, deixa em um determinado lugar e o representante da torcida passa para buscar?. O goleiro conta que os torcedores dizem exigir dinheiro para pagar os custos de viagens para acompanhar ao time. ?Eles afirmam que são o coração da torcida e não podem deixar de prestigiar a equipe?. O goleiro disse que a ?cota? do Colón está em dia e por isso, ele não entende o comportamento da torcida, que provocou muita confusão no domingo, quando a equipe perdeu em casa por 2 a 0. Os atletas foram ameaçados e levaram mais de 40 minutos para deixar o gramado, assim mesmo, sob forte proteção policial. ?Eu acho essa atitude muito estranha, já que o Colón está em dia com a cota dos torcedores?. Tombolini revelou também que denunciou à polícia que foi vítima de ameaças por telefone. Ele disse que as ameaças mencionavam uma possível agressão à sua família.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.