AP photo/Frank Augstein
AP photo/Frank Augstein

Argentina atropela Itália com show de Messi e conquista a Finalíssima em Wembley

Lautaro Martínez, Di María e Dybala marcam os gols da equipe de Lionel Scaloni, que ergue primeira edição do troféu Artmeio Franchi

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2022 | 18h07

Com um Messi endiabrado, a Argentina, campeã da Copa América, derrotou a Itália, campeã europeia, mas fora da Copa do Mundo do Catar, nesta quarta-feira, por 3 a 0, em Wembley e venceu a Finalíssima. Os dois gols saíram no primeiro tempo e foram marcados por Lautaro Martínez, Di María e Dybala, mas o grande destaque do jogo, com grande jogadas foi o camisa 10 argentino.

A vantagem argentina no placar só não foi maior por causa de Donnarumma, autor de pelo menos quatro belas defesas. A partida também marcou a despedida da seleção italiana do zagueiro Chiellini.   

O fato de a Itália estar fora da Copa do Catar ficou em evidenciado no primeiro tempo. Os italianos tentaram jogar de igual para igual com os argentinos nos primeiros 45 minutos, mas não foram páreo diante do talento de Di María, Lautaro Martínez e, principalmente, Lionel Messi.  

Em duas jogadas individuais, completadas com ótimas assistências, os sul-americanas abriram 2 a 0 no placar. Aos 27 minutos, após erro na saída de bola da Itália, Messi arrancou pela esquerda e serviu o oportunista Lautaro Martínez: 1 a 0.

Antes do intervalo, o segundo gol argentino. Emiliano Martínez saiu jogando com os pés e lançou Lautaro Martínez. O atacante girou, passou pela marcação de Bonucci e lançou Di María, que ganhou na corrida de Chiellini, antes de encobrir Donnarumma. A torcida argentina, maioria entre os 87.112 presentes no Estádio de Wembley, foi á loucura.

Para o segundo tempo, a Itália voltou com Lazzari, Locatelli e Scamacca. O time de Roberto Mancini encontrou a Argentina plantada em seu campo, pronta para explorar os contra-ataques. Apesar do domínio territorial dos italianos, as chances verdadeiras foram dos argentinos. E foi uma pressão incrível, com sete situações de perigo.

Em uma delas Bonucci quase fez contra. Di Maria teve duas oportunidades. Na segunda, acertou lindo chute de primeira, após escanteio cobrado por Messi, mas Donnarumma defendeu. Lo Celso chutou livre, mas errou o alvo. Messi também teve três chances, mas parou no goleiro italiano.

A superioridade argentina era tão grande que a torcida passou a gritar 'olé' a partir dos 25 minutos. O clima e o toque de bola dos 'hermanos' deixaram os italianos nervosos e pouco produtivos no ataque. Um terceiro gol sul-americano foi mais esperado que o primeiro dos europeus.

E ele saiu aos 49 minutos. Messi arrancou pelo meio, parou na marcação, mas a bola sobrou para Dybala, que havia entrado apenas quatro minutos antes. O canhoto bateu c=no canto e superou Donnarumma: 3 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.