Miguel Gutierrez / AP
Miguel Gutierrez / AP

Argentina bate Venezuela fora e se consolida na vice-liderança das Eliminatórias

Seleção de Messi aproveita expulsão no primeiro tempo para vencer por 3 a 1, em Caracas

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2021 | 23h22

Mais leve depois da conquista da Copa América que encerrou um longo jejum de títulos, a Argentina conseguiu a sua vitória mais convincente nas Eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2022. Nesta quinta-feira, os argentinos fizeram 3 a 1 na Venezuela em Caracas e ganharam moral para enfrentar o Brasil no próximo domingo, na Neo Química Arena. Lautaro Martínez, Joaquin Correa e Ángel Correa marcaram os gols do triunfo dos visitantes. Soteldo descontou no fim, de pênalti.

Invicta com quatro triunfos e três empates até o momento, a Argentina se consolidou na vice-liderança do torneio, com 15 pontos, e segue na perseguição à seleção brasileira. Domingo, em Itaquera, o time de Messi e companhia busca um novo triunfo diante dos brasileiros para ampliar a boa fase. A Venezuela amarga a lanterna da competição, com apenas quatro pontos.

Em Caracas, a Argentina, seleção que mais vezes finalizou a gol nas Eliminatórias, ficou a maior parte do tempo no ataque e foi beneficiada pela expulsão de Adrián Martinez na etapa inicial. Ele entrou em campo aos 24 e aos 27 deu uma entrada muito forte, com a sola da chuteira, na canela de Messi. O árbitro inicialmente apresentou o amarelo, mas mudou de ideia ao rever o lance no monitor do VAR e mostrou o vermelho para o venezuelano.

Com um a mais, os argentinos transformaram a superioridade numérica e técnica em gol no fim do primeiro tempo, aos 48 minutos. O gol saiu dos pés de Lautaro Martínez, que mandou para rede após passe de Lo Celso nas costas da marcação.

Na etapa final, a Argentina sobrou em efetividade e aumentou o placar com naturalidade diante de uma Venezuela que se fechou a fim de não levar mais gols e tentar o empate no contragolpe. Mas a estratégia passou longe de dar certo e os argentinos, mesmo sem Messi inspirado, contaram com dois gols de jogadores que vieram do banco para ratificar o triunfo.

Joaquin Correa, que entrara na vaga de Lo Celso, marcou o segundo aos 25. Após boa troca de passes, ele recebeu de Lautaro, entrou na área e concluiu no canto direito de Fariñez. Aos 28 foi a vez de Ángel Correa, que substituiu Di María, fazer o terceiro, aproveitando o rebote do goleiro em arremate de Lautaro. 

Nos acréscimos, o árbitro assinalou pênalti para os anfitriões após revisão do VAR. Soteldo bateu com muito estilo, de cavadinha, e fez o gol de honra dos venezuelanos.

FICHA TÉCNICA

VENEZUELA 1 X 3 ARGENTINA

VENEZUELA - Fariñez; Alex González (Hernández), Ferraresi, Velázquez (Adrián Martínez) e Óscar González; José Martínez, Rincón, Soteldo; Savarino (Carrillo), Eric Ramírez (Villanueva) e Josef Martínez (Hurtado). Técnico: Leonardo González

ARGENTINA - Emiliano Martínez; Molina, Pezzella, Otamendi e Acuña; De Paul (Palacios), Guido Rodríguez (Dybala) e Lo Celso (Joaquín Correa); Di María (Angel Correa), Messi e Lautaro Martínez (Papu Gómez). Técnico: Lionel Scaloni

GOLS - Lautaro Martinez, aos 48 minutos do primeiro tempo. Joaquín Correa, aos 25, Ángel Correa, aos 28, e Soteldo, aos 48 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Leodan González (Uruguai).

CARTÃO AMARELO  - Hurtado.

CARTÃO VERMELHO - Adrián Martínez.

LOCAL - Estádio Olímpico de la UCV, em Caracas, Venezuela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.