Argentina busca afirmação contra Bolívia

A seleção da Argentina recebe a Bolívia neste sábado, em Buenos Aires, com dois desafios a superar. O primeiro é o de ficar na liderança das Eliminatórias na América do Sul, pelo menos até domingo. Por enquanto está em segundo, com 4 pontos - dois a menos do que o Brasil. Além disso, precisa recuperar a confiança dos torcedores, que até hoje não absorveram a decepção da desclassificação na fase inicial do Mundial de 2002."A eliminação foi dura e estamos recomeçando do zero", reconheceu o atacante Hernan Crespo, do Chelsea. "O importante é ganhar e tudo volta à normalidade", ponderou Pablo Aimar, do Valencia.O público não parece entusiasmado. Até sexta-feira, haviam sido vendidos 15 mil dos 50 mil ingressos disponíveis para o jogo, marcado para as 22h30 de Brasília (com ESPN/Brasil) no Monumental de Nuñez. O técnico Marcelo Bielsa terá Cavallero; Quiroga, Ayala e Samuel; Zanetti, Almeyda, Kiri Gonzalez, Aimar e D?Alessandro; Delgado e Crespo.O veterano Etcheverry ainda é a esperança da Bolívia (3 pontos), dirigida pelo chileno Nelson Acosta.O Chile também tem pretensão de saltar para o primeiro lugar, já que, assim como os argentinos, está com 4 pontos. Para tanto, deve passar por teste difícil, porque visita o Uruguai (3), no estádio Centenário, em Montevidéu. Os chilenos não terão Acuña e David Pizarro, contundidos. Os uruguaios ficam sem Recoba, também machucado. O jogo começa às 16 horas, de Brasília, ao vivo na ESPN/Brasil.Paraguai (3) e Equador (3) se enfrentam em Assunção em busca de afirmação. Os paraguaios têm como ponto de referência veteranos como Arce, Gamarra, Cardozo e Campos. A partida será às 20h20, de Brasília, com ESPN/Brasil.Colômbia e Venezuela fazem, em Barranquilla, jogo dos lanternas - ambos têm zero ponto. A partida começa às 19 horas, de Brasília, com SporTV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.