AP Photo/Silvia Izquierdo
AP Photo/Silvia Izquierdo

Argentina dá show, faz 6 a 1 no Paraguai e vai à final da Copa América

Messi passa em branco, mas ataque brilha e chega à final motivado

Gonçalo Junior, ENVIADO ESPECIAL A CONCEPCIÓN, Estadão Conteúdo

30 de junho de 2015 | 22h25

Depois do vice na Copa do Mundo, quando perdeu para a Alemanha na decisão, Messi terá uma nova chance de conquistar seu primeiro título com a seleção. Com uma atuação soberana conduzida por ele próprio, a Argentina fez 6 a 1 no Paraguai - o maior placar do torneio - e vai decidir o título da Copa América contra o Chile, no sábado.

Será o duelo entre o anfitrião e o melhor elenco, entre um país que nunca foi campeão e outro que vive um jejum de 22 anos. O placar estrondoso deixou o Chile preocupado. Tanto que a torcida local tentou apoiar o Paraguai no começo, mas sem muito sucesso. 

Os destaques da goleada foram Messi, autor de duas assistências e belos lances, e Di María, que balançou as redes duas vezes. A Argentina também celebrou que seus pendurados (Messi, Mascherano e Agüero) passaram ilesos, sem novos cartões, e poderão estar na final. 

O enredo do jogo começou igualzinho ao da fase de grupos, aquele empate por 2 a 2. O primeiro tempo foi da Argentina. Com um domínio tranquilo, com posse de bola e chances de gol, os gols de Rojo e Pastore foram justos. Nos dois lances, passes de Messi. 

O Paraguai não era sombra do time arteiro da vitória sobre o Brasil. Prejudicaram o seu desempenho as contusões de Gonzáles e de Roque Santa Cruz. O Paraguai parecia entregue. E só ressurgiu graças a uma bobeira da defesa rival. Em uma saída errada, Valdez tocou para Lucas Barrios, que diminuiu a vantagem em um belo chute. 

O árbitro Sandro Meira Ricci estava disposto a não perder as rédeas, como havia acontecido no Chile x Uruguai, que já entrou para a história com a “mão boba” de Gonzalo Jara. Apitando com muita atenção, deu três cartões amarelos em 12 minutos e foi o senhor da partida. 

Com 1 minuto da etapa final, a Argentina pôs fim às semelhanças em relação ao jogo inicial. Pastore para Di María, que fez 3 a 1 e definiu a classificação. Os três gols que vieram depois (Di María de novo, com jogada espetacular de Messi, Agüero e Higuaín) reafirmaram a força de uma Argentina determinada a acabar com seus tabus. 

Para o técnico Ramón Díaz, o Paraguai encarou a melhor equipe do mundo e, por isso, o resultado foi tão elástico. “Enfrentamos o melhor time do mundo, que mostrou todo o seu potencial em uma fase decisiva.”

FICHA TÉCNICA:

ARGENTINA 6 X 1 PARAGUAI

ARGENTINA - Romero; Zabaleta, Otamendi, Demichelis e Marcos Rojo; Mascherano (Gago), Biglia e Pastore (Banega); Messi, Di María e Agüero (Higuaín). Técnico: Gerardo Martino.

PARAGUAI - Justo Villar; Bruno Valdez, Paulo da Silva, Aguilar e Ivan Piris; Cáceres, Ortiz, Derlis González (Bobadilla) e Benítez; Roque Santa Cruz (Lucas Barrios) e Haedo Valdez (Óscar Romero). Técnico: Ramón Díaz.

GOLS - Marcos Rojo, aos 14, Pastore, aos 26, e Lucas Barrios, aos 42 minutos do primeiro tempo. Di María, aos dois e aos sete, Agüero, aos 34, e Higuaín, aos 37 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Sandro Meira Ricci (Fifa/Brasil).

CARTÕES AMARELOS - Marcos Rojo, Biglia (Argentina); Cáceres, Paulo da Silva, Ortiz (Paraguai).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Municipal Alcaldesa Ester Roa Rebolledo, em Concepción (Chile).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.