Argentina deve explorar a fraca defesa alemã, diz Bilardo

O ex-técnico da seleção argentina Carlos Bilardo, que treinou a equipe nas duas finais de Copas do Mundo disputadas contra a Alemanha - vitória em 1986, no México, e derrota quatro anos mais tarde, na Itália -, declarou que a Argentina terá de explorar a "fraca defesa" dos donos da casa para vencer os anfitriões na sexta-feira e obter uma vaga nas semifinais deste Mundial."O segredo para a Argentina vencer é atacar a defesa da Alemanha formada pelos zagueiros Christoph Metzelder e Per Mertesacker, os pontos fracos da seleção", afirmou o técnico de 67 anos, que esteve à frente da seleção argentina durante sete anos, de 1983 a 1990.Neste novo embate entre as duas potências do futebol, que juntas acumulam cinco títulos mundiais, não há favorito, de acordo com Bilardo. "É difícil eleger um favorito para esta partida. A Argentina vinha melhor, mas teve muitas dificuldades para vencer o México nas oitavas-de-final (2 a 1 na prorrogação). Então, ambas estão no mesmo nível, com 50% de chance".A confiança de Bilardo na seleção argentina cresceu muito após a segunda partida da primeira fase, contra Sérvia e Montenegro. "Foi ótima a partida contra a Sérvia na goleada de 6 a 0. Contra a Costa do Marfim (vitória de 2 a 1), os argentinos não jogaram muito bem no segundo tempo. No empate de 0 a 0 contra a Holanda, é difícil chegar a uma conclusão porque as duas equipes atuaram com muitos jogadores reservas", analisou Bilardo."Já nas oitavas, o México foi superior durante boa parte do jogo. Na sexta, tudo vai depender do desempenho de Michael Ballack e Juan Riquelme", opinou o técnico, em referência aos armadores da Alemanha e da Argentina. "Isso será decisivo para vermos se Crespo e Saviola se sairão melhor do que os alemães Klose e Podolski."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.