Johannes Eisele/AFP
Johannes Eisele/AFP

'Argentina não estava confusa, nós é que fomos excelentes', diz técnico croata

Zlatko Dalic valorizou o triunfo histórico da Croácia sobre a Argentina, por 3 a 0, nesta quinta-feira, em Nizhny Novgorod

Estadão Conteúdo

21 Junho 2018 | 20h15

O técnico Zlatko Dalic valorizou o triunfo histórico da Croácia sobre a Argentina, por 3 a 0, nesta quinta-feira, em Nizhny Novgorod, na Rússia. Para o treinador, o triunfo não se deveu ao fraco desempenho dos sul-americanos, mas, sim, à grande performance dos seus jogadores. O resultado classificou os croatas às oitavas de final da Copa do Mundo.

+ Croácia faz 3 a 0 e deixa Argentina em situação complicada na Copa do Mundo

+ Sampaoli defende Caballero e Messi e assume responsabilidade por derrota

+ TEMPO REAL - Argentina 0 x 3 Croácia

"A Argentina não estava confusa em campo, nós é que fomos excelentes", afirmou o técnico Zlatko Dalic. "Ganhamos da Argentina com o melhor jogador do mundo em campo. Fizemos uma partida fantástica, tudo ocorreu perfeitamente", ressaltou o treinador.

Dalic não escondeu a surpresa pela classificação obtida ainda na segunda rodada do Grupo D. "Desde o primeiro dia, eu confiei em meu time. Mas, sinceramente, não acreditava que avançaríamos já no segundo jogo. Porém, sempre acreditei que nos classificaríamos (para o mata-mata)", afirmou.

Por essa razão, o treinador croata pediu humildade e cautela ao seu grupo. "Vamos manter nossos pés no chão e nos preparar para a próxima partida. Devemos ficar focados para o que nos espera. Cada jogo será mais difícil, mas nosso maior objetivo já foi alcançado. Pareceu fácil, mas não foi."

 

Eleito o melhor jogador da partida, o volante Luka Modric também celebrou a classificação. "Nosso objetivo mais importante já foi atingido. Mas agora temos que encarar jogo a jogo. Esta vitória vai elevar a nossa confiança para as próximas partidas. Vai ser difícil, mas vamos evitar a euforia", disse o jogador do Real Madrid.

Para Modric, a vitória por 3 a 0 pareceu mais fácil do que realmente foi. "Não foi fácil, embora tenha parecido assim. Fizemos por merecer o resultado. Fizemos um jogo perfeito e precisávamos de um jogo assim para vencer um grande rival. Nós anulamos o Messi, impedimos ele de receber a bola. Era o jogador mais perigoso", disse o volante, autor do segundo gol da partida.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.