Argentina tem mais fome de glória que Brasil, diz Maradona

A seleção brasileira é poderosa, mas a Argentina recorrerá à sua fome de glória para conquistar uma vitória que a aproxime da Copa do Mundo de 2010, disse na terça-feira o técnico da seleção argentina, Diego Maradona, ao visitar o estádio em que as duas equipes se enfrentarão pelas eliminatórias sul-americanas.

REUTERS

18 de agosto de 2009 | 22h30

O jogo, marcado para o dia 5 de setembro, será disputado no campo do Rosario Central, depois de Maradona pedir que a partida não fosse realizada no Monumental do River Plate, por conta do mal estado do gramado e para que os adversários se sentissem mais pressionados em um estádio onde a torcida fica mais próxima do campo.

"Tomara que, como muitos dizem, o Brasil diminua seu rendimento quando vier ao nosso país. Mas não acredito muito nisso. O Brasil é poderoso, mas nós temos mais fome de glória que eles", disse Maradona.

"Teremos que ter cuidado com o arranque de Kaká, que ele não se aproxime de Robinho, e teremos que isolar Luís Fabiano", explicou.

A Argentina precisa vencer o líder Brasil para se aproximar da vaga no Mundial da África do Sul. Atualmente a equipe é a quarta colocada nas eliminatórias, atrás dos pentacampeões mundiais, do Chile e do Paraguai.

Tudo o que sabemos sobre:
FUTMARADONAGLORIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.