Argentina terá Dybala na vaga de Messi contra o Peru; Uruguai pega a Venezuela

Contundido, astro do Barcelona abre espaço para destaque da Juventus

Estadão Conteúdo

06 Outubro 2016 | 06h40

O atacante Dybala vai ser o substituto de Messi na seleção da Argentina contra o Peru, nesta quinta-feira, às 23h15 (de Brasília), pela nona rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018. Apesar de a partida ser realizada em Lima, os argentinos são favoritos. O craque do Barcelona não joga por estar contundido, assim como o volante Biglia, que dará lugar a Kranevitter.

O técnico Edgardo Bauza já dava sinais que o jogador da Juventus iria ser escalado na vaga de Messi. Nesta quarta-feira, confirmou a opção, apesar de considerar um desafio para o time não poder contar com o "jogador que mais desequilibra no mundo". Sobre Kranevitter, disse que foi escolhido por ter bom passe e pelo poder de marcação.

A Argentina começa a rodada na terceira colocação com 15 pontos (com saldo de gols inferior ao do Brasil). O Peru está na nona e penúltima posição com sete pontos, mas o atacante Guerrero pediu aos torcedores que confiem na equipe. "Estou grato ao público que assistiu à vitória sobre o Equador (2 a 1, na rodada anterior). Nós jogávamos com muita pressão, diziam que estaríamos entre a vida e a morte caso não ganhássemos. Agora temos a Argentina. É uma nova possibilidade para nos recuperarmos. Espero que o peruano volte a confiar na seleção".

O líder Uruguai (16 pontos) recebe a lanterna Venezuela (apenas dois), às 20 horas, em Montevidéu, mas o respeito pelo adversário é grande. Motivos para isso os uruguaios têm: na Copa América Centenário, em junho, perderam para os adversários desta quinta-feira por 1 a 0. "Aquele encontro mostrou que eles farão um jogo difícil, mas temos muita clareza do que isso significa. O objetivo é ganhar a partida e vamos tentar, com mentalidade, atitude, ter um bom desempenho para conseguir o que queremos", disse o técnico Óscar Tabárez, que confirmou a dupla de ataque com Suárez e Cavani.

O Equador (13 pontos) joga em Quito contra o Chile (11), às 18 horas, mas o assunto no treino desta quarta-feira foi um mandato de prisão contra o atacante Enner Valencia por não pagar a pensão de sua filha de cinco anos. Ele deve cerca de R$ 55 mil. Oficiais estiveram no treinamento, mas não conseguiram cumprir a ordem - segundo um advogado da mãe da menina por falta de colaboração dos policiais.

No complemento da rodada, Paraguai e Colômbia se enfrentam às 20h30 (de Brasília), no estádio Defensores del Chaco, em Assunção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.