Esteban Felix|AP
Esteban Felix|AP

Argentina terá volta de Messi contra o Chile pelas Eliminatórias

Astro perdeu os quatro primeiros jogos por conta de uma lesão no joelho e tenta recolocar seleção na zona de classificação

SANTIAGO, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2016 | 07h00

Pouco mais de oito meses depois de decidirem a Copa América de 2015, Chile e Argentina voltam a se enfrentar no Estádio Nacional – mesmo palco da decisão que terminou na primeira conquista chilena na competição após a vitória na disputa de pênaltis. Dessa vez, contudo, não há muito glamour em torno do jogo – quem vencer, deixará o rival em situação complicada nas Eliminatórias para a Copa de 2018.

Em quinto lugar na tabela de classificação com 7 pontos, a seleção do Chile terá a estreia do técnico argentino Juan Antonio Pizzi, que foi contratado para o lugar do compatriota Jorge Sampaoli, que deixou o comando da equipe em janeiro após uma série de desentendimentos, denúncias de desvios de dinheiro para paraísos fiscais, entre outros problemas.

O primeiro jogo como técnico da seleção, que em sua carreira como jogador era atacante e defendeu clubes tradicionais como o River Plate e o Barcelona, será cheio de problemas. Os meias Jorge Valdivia e Arturo Vidal, além do atacante Eduardo Vargas, estão suspensos e desfalcam o Chile.

Entre as mudanças que deverão ser feitas por Pizzi, estão o fim da linha de três zagueiros, o que representa a entrada de Eugenio Mena, atleta do São Paulo, na lateral-esquerda, além do aproveitamento de Fabián Orellana, destaque do Celta de Vigo, que faz boa temporada no Campeonato Espanhol.

Do lado argentino, um reforço de muito peso. O craque Lionel Messi voltará a defender sua seleção após ficar de fora nas quatro primeiras rodadas do torneio por conta de uma contusão no joelho esquerdo. Sem o astro, a Argentina conquistou só uma vitória, contra a Colômbia, na última rodada.

Mesmo com o triunfo, os argentinos ocupam apenas a sexta posição nas Eliminatórias, com cinco pontos – portanto, fora da zona de classificação para o Mundial da Rússia.

Em relação ao time que entra em campo hoje, o técnico Gerardo Martino terá pelo menos cinco desfalques. Não enfrentarão o Chile o zagueiro Nicolás Otamendi, o volante Gaitán, os meias Javier Pastore e Enzo Pérez e o atacante Paulo Dybala.

Para o lugar de Otamendi, Martino deverá mandar a campo como titular o experiente zagueiro do Manchester City Martín Demichelis.

O trio de arbitragem da partida será brasileiro – Héber Roberto Lopez apitará o jogo e Marcelo Van Gasse e Rodrigo Figueiredo Henrique Correa serão seus auxiliares.

Líder. Nos 2.800 metros de altitude de Quito, o Equador receberá o Paraguai e tenta manter os 100% de aproveitamento. Do lado equatoriano, o técnico Gustavo Quinteros não poderá contar com os atacantes Felipe Caicedo, artilheiro da competição com quatro gols, e Miler Bolaños, do Grêmio, que fraturou a mandíbula no clássico com o Internacional.

Já o Paraguai tem como principal aposta a volta do atacante do Palmeiras Lucas Barrios.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.