Argentinos alegam falta de segurança

A Argentina decidiu não participar da Copa América. Foi uma decisão unânime, resultado de uma reunião realizada ontem à noite na Associação de Futebol Argentino (AFA), e que apóia a posição inicial do presidente da AFA, Julio Grondona. ?A falta de segurança na Colômbia foi o critério imposto para ratificar essa decisão?, disse o presidente dos clubes argentinos, Oscar Giménez. ?Foi a decisão mais coerente?, acrescentou.Os dirigentes argentinos argumentaram que o peso maior na decisão foi, de fato, a questão da segurança. Além disso, Grondona já havia dito que era impossível armar a sua seleção em cima da hora, já que a Confederação Sul Americana de Futebol, que havia suspendido a edição da Copa América de 2001, voltou atrás de repente. ?A situação na Colômbia não mudou desde então?, disse Oscar Giménez.Poucas semanas antes da realização da Copa América, uma onda de violência na Colômbia, incluindo atentados que mataram 18 pessoas e feriram outras 232, além do seqüestro de um dirigente do futebol colombiano, levou à CSF a suspender a realização do evento. Porém, na semana passada, decidiu manter o calendário oficial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.