Andres Stapff/Reuters
Andres Stapff/Reuters

Argentinos chamam Maradona de 'improvisado' antes da decisão

Seleção joga nesta quarta-feira contra o Uruguai a classificação para a Copa do Mundo de 2010; 'Só milagre salva'

Ariel Palácios - Correspondente de O Estado de S. Paulo,

14 de outubro de 2009 | 09h53

A seleção do técnico Diego Armando Maradona disputará nesta quarta-feira, às 19 horas, em Montevidéu, o principal jogo da Argentina nos últimos tempos, já que do resultado que terá no histórico estádio Centenário dependerá sua eventual ida à Copa do Mundo de 2010. Desanimados, os torcedores não se entusiasmaram em atravessar o rio da Prata para assistir o embate platino, um clássico desde o início do século XX, que inclusive precedeu a rivalidade brasileiro-argentina nesse esporte. Do total de 3 mil entradas disponíveis para os torcedores argentinos, somente 1.300 haviam sido vendidas. A partida tem acompanhamento do estadao.com.br

 

Veja também:

linkEuropa define nesta quarta mais dois classificados

especialMAPA - Os países que já garantiram vaga na Copa

Eliminatórias da Copa - tabela Classificação | lista Tabela 

especial ELIMINATÓRIAS - Mais no canal especial

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Ao contrário do jogo com o Paraguai, quando Maradona contratou um "bruxo" para fazer uns "trabalhos" de ajuda à seleção, desta vez o técnico deixou de lado as superstições e decidiu viajar, uma terça-feira 13 (nos países colonizados pela Espanha, o "dia do azar" é a terça 13, e não a sexta-feira 13, tal como nos EUA e Brasil). Desacreditada, a seleção partiu no fim da tarde rumo à capital uruguaia.

 

Em Montevidéu o clima é de festa antecipada, em ritmo de virtual final de Copa do Mundo. O epicentro uruguaio das celebrações será o próprio estádio Centenário, ao qual compareceriam os torcedores de "La Celeste" - denominação da seleção uruguaia - com balões e bandeiras, além de confete. O técnico do Uruguai, Oscar Tabárez afirmou que "os argentinos não nos encontrarão desprevenidos!".

 

DUAS MARGENS

Na margem esquerda do Rio da Prata, uma pesquisa realizada pelo jornal El País, de Montevidéu, sustentou que 80% dos uruguaios acreditam que a seleção de seu país vencerá o hoje contra a Argentina e que se classificará para a Copa da África do Sul.

 

Mas, na margem direita, em Buenos Aires, o clima era de resignação. Uma pesquisa realizada pela edição online do jornal portenho Clarín indicou que 83,1% dos internautas consideram que, com Maradona no posto de técnico, a seleção não poderá melhorar seu nível. Somente 16,9% acreditam que Maradona poderia melhorar a qualidade da seleção.

 

MESSI EM BAIXA

O jogador Lionel Messi, que meses atrás era encarado como uma das estrelas da seleção argentina, agora está com a imagem em baixa entre torcedores e colunistas esportivos. Uma pesquisa do Clarín afirma que 60% dos torcedores preferem que Messi fique quietinho no banco de reservas no jogo com o Uruguai.

 

Antes de partir rumo à Montevidéu, Maradona conversou de forma reservada com Messi. Segundo a agência estatal de notícias Télam, o técnico disse ao jogador que ele precisa "ser o emblema do time". Maradona disse a Messi que a seleção "está colocando várias coisas em jogo".

 

O técnico respaldou o jogador, que está sendo alvo de intensas críticas: "se você estiver bem, vamos ir para a frente".

 

INCOERENTE E IMPROVISADO

Os analistas esportivos afirmam que é difícil vislumbrar como Maradona conseguirá atingir o objetivo de vencer o Uruguai. Maradona está sendo intensamente criticado pela demora na definição do time que enfrentará a "Celeste", denominação da seleção uruguaia. "Incoerente", "improvisado" e "incapaz" são alguns dos adjetivos aplicados ao outrora "Pibe de Oro" (Garoto de Ouro), apelido que ostentava em seus tempos de glória como jogador.

 

O analista esportivo Juan José Panno afirmou que a seleção de Maradona "está desorientada, com o ânimo frágil e inseguro": "estão ali os intérpretes necessários para uma parada tão complicada como esta?".

 

Segundo ele, "o próprio Maradona não está nas melhores condições. Mas, é que temos e deverá receber todo o apoio. E estão os jogadores, dos quais sabemos que geralmente brilham em seus respectivos times mas não respondem na medida de suas possibilidades quando colocam a camiseta da seleção argentina".

 

Panno sustenta que nenhuma formação de seus jogadores poderá propiciar garantias de sucesso no confronto com os uruguaios. Os colunistas esportivos consideram que a seleção não depende de si própria, mas sim, de "salvadores" circunstanciais (como Martín Palermo, no sábado passado, ao emplacar o gol que salvou a Argentina de um empate com o Peru). Outros especulam com a capacidade de Maradona de "ressuscitar" quando está sendo colocado à beira do precipício.

 

CONTRATO

Em 4 de novembro, independentemente do resultado do jogo com o Uruguai, vencem os contratos do corpo técnico de Maradona. Rumores no âmbito esportivo em Buenos Aires indicam que Maradona perderia seu assessor Alejandro Mancuso, já que a Associação de Futebol da Argentina (AFA) pretenderia reduzir o poder do técnico dentro da seleção.

 

A AFA colocaria novos homens ao redor de Maradona, fato que criaria um cenário no qual não se descartaria a eventual renúncia do técnico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.