Argentinos fazem Porto Alegre entrar em alerta máximo

Jogo entre Argentina e Nigéria provoca operação especial de segurança; 120 mil argentinos são esperados na cidade

Gonçalo Junior - enviado especial a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2014 | 05h00

Autoridades de segurança classificam a partida de amanhã entre Argentina e Nigéria, em Porto Alegre, como um evento de "alerta máximo", a mesma classificação das situações de grande risco para a segurança pública. A expectativa do Ministério da Justiça é de que 120 mil argentinos cruzem a fronteira do Rio Grande do Sul por vias terrestres e aéreas.

Em função dessa expectativa, as polícias Federal, Militar e Civil, Rodoviária Federal e até o Exército estão envolvidos em uma grande operação conjunta. Os números da ação, entretanto, não foram revelados.

O esquema de segurança tem duas preocupações principais. A primeira é a quantidade de torcedores argentinos sem ingressos que deverão ir a Porto Alegre. De acordo com a organização da Copa, 20 mil argentinos adquiriram entradas, ou seja, milhares de torcedores estarão sem entradas, o que aumenta o risco de invasões, como ocorreu no Maracanã, e de furtos, como os casos no Mineirão.

Existe uma preocupação também com os transtornos causados por tantos turistas. Ainda no Rio de Janeiro, cerca de 50 mil turistas argentinos ocuparam a cidade. Na véspera do jogo, tentaram impedir o trânsito na Avenida Atlântica, em Copacabana, e a polícia precisou intervir com sprays de pimenta.

A segunda preocupação das autoridades é a presença dos chamados barras-bravas, torcedores que pertencem às facções violentas na Argentina. A Polícia Federal tem uma lista com 2,1 mil nomes que estão proibidos de ingressar no País devido ao histórico de violência. De acordo com o Ministério da Justiça, 18 já foram deportados - a maioria deles quando tentava entrar no Brasil pelo Rio Grande do Sul.

O movimento em Paso de Los Libres, fronteira com a Argentina, é intenso desde o final do último final de semana. A Polícia Federal informou que 4.383 estrangeiros entraram no país por Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, entre sexta-feira e domingo último. Do total, 3.952 são argentinos. Ontem, o movimento continuou intenso na aduana brasileira na cidade, com turistas da Argentina em fila para entrar no país.

Segundo a PF, análise dos últimos 22 dias de junho aponta que 13.276 estrangeiros entraram pela cidade, sendo 10.644 argentinos. No mesmo período, na fronteira terrestre e aeroportos do estado, mais de 40 mil pessoas entraram no País, quase a metade de turistas da Argentina (18.790). COLABORARAM ELDER OGLIARI E LUCAS OLIVEIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.