Arílson é acusado de ser alcoólatra

O brasileiro Arílson, do Universidad de Chile, ficou 14 horas preso na cidade de Santiago, Chile, por ter dirigido embriagado. Depois disso, O presidente do clube chileno, René Orozco, que é médico, disse ao jornal chileno ?La Tercera? que o jogador, cujo contrato termina em dezembro, sofre de alcoolismo e deverá ser submetido a tratamento de desintoxicação. "Arílson é alcoólatra e vamos tratar dele. Muitas pessoas têm problemas com drogas, ele tem com álcool", declarou Orozco. "Vamos apoiá-lo. Ele vai se submeter a um tratamento especial, pois tanto as drogas como o álcool são uma doença." O dirigente chileno diz que o brasileiro já havia apresentado antecedentes que indicavam problemas de alcoolismo. Ao ser preso às 2 da manhã de terça-feira, o exame feito no jogador constatou a presença de 2,27 gramas de álcool por litro de sangue. A lei chilena estabelece como quantidade máxima permitida 0,05 grama por litro. Arílson foi preso e passou a noite na delegacia de Las Canteras. Pela manhã foi transferido para o Centro de Detenção Preventiva Capitán Yávier, onde prestou depoimento de duas horas e foi liberado após pagar fiança equivalente a US$ 150. Em março de 1999, Arílson envolveu-se em acidente automobilístico em Valladolid, Espanha. O seu carro bateu em uma motocicleta e uma mulher que estava na garupa ficou gravemente ferida. O jogador foi acusado pela Justiça espanhola de dirigir embriagado. Arílson compareceu à primeira audiência, mas não foi à segunda. Por esse motivo, a juíza expediu ordem de busca e captura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.