Armando Marques exige rigor dos juízes

A tolerância com o antifutebol e com os erros dos juízes acabou. O recado, em tom de ameaça, foi proferido várias vezes nesta terça-feira pelo presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Armando Marques, durante a videoconferência que reuniu 635 profissionais da área de todo País.A partir de agora, a orientação é bem clara: o jogador que fizer várias faltas em uma mesma partida terá que ser expulso. O atleta que der um carrinho por trás, pela frente ou pelo lado, sem visar a bola e pôr em risco a integridade física do adversário, será advertido com cartão vermelho diretamente. De forma enfática, Armando Marques disse que, se a regra não for cumprida, o árbitro será afastado temporariamente do quadro técnico. "Partida com 70 ou 80 faltas é algo inaceitável. Há de se ter rigor com quem não queira jogar futebol. E o árbitro que não cumprir a regra já pode comprar o casaco de pele, pois vai hibernar um pouquinho", declarou Armando Marques, no auditório de uma empresa de telecomunicação, no centro do Rio.Em relação à regra do impedimento, o dirigente afirmou que é preciso que os assistentes esperem o momento certo para assinalar a infração, a fim de analisar a condição de quem recebe o passe ou o lançamento. "É melhor esperar um tempinho para levantar a bandeirinha do que agir com rapidez e errar. O atleta pode não interferir na jogada, que prossegue. Por isso, nessas horas, o assistente tem que ter controle emocional", disse Armando Marques, que deu mostras que sua ameaça não ficará apenas no discurso.Geladeira - O árbitro Héber Roberto Lopes, que prejudicou o Santos no empate com o Botafogo, por 3 a 3, na última rodada, foi afastado por tempo indeterminado. Um dos motivos alegados por Armando Marques foi que Lopes vinha errando na parte disciplinar: conversava e discutia muito com os jogadores durante as partidas. "Vou procurar melhorar. Poderia ter arbitrado com mais qualidade o jogo entre Botafogo e Santos. Não fui mal, mas fiquei abaixo da média", afirmou Lopes, que classificou a videoconferência como boa para qualificar ainda mais os árbitros brasileiros.Ele reconheceu os erros que custaram ao Santos dois pontos - um pênalti a favor do time santista, que Lopes não marcou e outro, assinalado equivocadamente para o Botafogo e que acabou convertido. Os juízes ainda foram instruídos a preencher a súmula dos jogos com a própria letra e a tomar cuidado com o que escrevem, pois o documento pode servir para condená-los na Justiça Desportiva. "Tem árbitro fazendo a súmula a três mãos, isso não é possível", contou Armando Marques.Sobre a comemoração dos gols, os árbitros são orientados a punir com cartão amarelo quem levantar a camisa até a cabeça ou arrancá-la do corpo, quem escalar o alambrado ou provocar a torcida rival. Mas há uma exceção: quem suspender a camisa até o peito não pode ser penalizado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.