Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE

Armero não tem explicação para nova falha no Palmeiras

'Não deu. Eu lutei, cometi um erro e estou triste, mas sou guerreiro', afirma o colombiano

DANIEL AKSTEIN BATISTA, O Estado de S. Paulo

04 de fevereiro de 2010 | 21h04

Não há um jogador no Palmeiras que seja mais perseguido do que o lateral-esquerdo Armero. O colombiano não vem agradando ao torcedor e a cada jogo as vaias têm aumentado. Nesta quinta-feira não foi diferente: logo após errar no lance que resultou no gol da Portuguesa, as broncas foram ouvidas nas arquibancadas.  

 

Veja também:

link Palmeiras sofre queda de energia

lista RESULTADOS / tabelaCLASSIFICAÇÃO

Muricy Ramalho pediu paciência com o lateral e antes mesmo de a bola rolar parecia que o pedido funcionaria. Os gritos de apoio, porém, vieram das jogadores da seleção feminina sub-17 da Colômbia que estavam no estádio. Depois, mais nenhum aplauso foi ouvido. Ao fim do jogo, Armero pediu desculpas à torcida. "Não deu. Eu lutei, cometi um erro e estou triste, mas sou guerreiro", falou. "Infelizmente errei novamente", admitiu.

Armero chegou a perder a vaga de titular para Gabriel Silva, mas o garoto se machucou e o colombiano retomou a posição. Contra o Bragantino, no domingo, Eduardo pode ganhar um lugar na equipe. "Não sei o que acontece. Eu corro, luto, mas não dá", lamentou Armero. "Meus companheiros me deram apoio para que eu seguisse (após a falha). Com trabalho, tranquilidade e fé em Deus vamos seguir adiante".

O elenco reconheceu as falhas do time e, principalmente, a de Armero. "A gente deu um gol para o adversário", falou o zagueiro Danilo, autor do gol alviverde. "Tomamos o gol numa infelicidade e, em um jogo assim, isso não pode ocorrer", acrescentou o jovem atacante Lenny.

A falta de opções no elenco mais uma vez foi lembrada pelo grupo. "A gente sentiu falta do Cleiton (Xavier, suspenso)", disse Danilo. "E, com o Diego Souza voltando de lesão, ficou difícil de ele jogar".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPaulistãoPalmeirasArmero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.