Futebol
Futebol

Arouca sofre racismo de santista, rebate e MP já analisa o caso

Jogador se pronuncia nas redes após ser chamado de 'preto safado'

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

12 Março 2015 | 16h45

Mais uma vez o racismo é assunto no futebol. Após a derrota do Palmeiras por 2 a 1 para o Santos, quarta, na Vila Belmiro, um torcedor santista resolveu xingar o volante Arouca de "preto safado" no Twitter. Sua ofensa foi parar no Ministério Público. O jogador do Palmeiras, irritado, chamou o torcedor de idiota e disse que não pretende dar mais espaço para o assunto, já que não existem punições no Brasil.

"Já passei por isso. É mais um idiota querendo aparecer. Já passei por isso, me pronunciei e pessoas que deviam tomar decisão não tomam, então não vou ficar me desgastando e dando ibope para essa pessoa", disse o volante, durante entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira, na Academia de Futebol.

Em sua página no Twitter, o torcedor, com camisa e faixa do Santos, escreveu. "Chupa, preto safado. Fica nesse time aí de segunda!". Após a polêmica, o santista deletou seu perfil na rede social. Revoltados com a atitude, palmeirenses se mobilizaram na internet e conseguiram fazer com que o xingamento fosse parar na página do Ministério Público de São Paulo, que deixou claro para o torcedor Saulo Fernandes, responsável pela denúncia, que seria levada à Ouvidoria do Ministério Público.

O volante já foi vítima de racismo no ano passado. Quando ainda defendia o Santos, durante partida contra o Mogi Mirim, ele foi chamado de "macaco" por um torcedor rival. O clube do Interior foi denunciado pelo Tribunal de Justiça Desportiva que, em primeira decisão, o multou em R$ 50 mil. Depois, o valor caiu pela metade.

"A punição é mínima e a pessoa que fez isso da outra vez, sequer foi punida. Então nem adianta ficar falando porque só vou me desgastar. Isso é lamentável e chateia bastante, mas não vai me derrubar", afirmou o volante palmeirense.

VEJA A MANIFESTAÇÃO DE AROUCA NO FACE

"Meus pais sempre me ensinaram a tratar as pessoas com respeito e com humildade. Fico triste e decepcionado por algumas pessoas não terem isso em casa. O preconceito é um mal silencioso, que visa afetar as pessoas, que mostra sua cara de maneira covarde (quando essa cara é mostrada)... independente de qual for: raça, religião, sexo, enfim. Não é à toa que vemos, cada vez mais, casos de depressão e de insegurança entre pessoas que sofrem com isso.

Sinto muito por ter de fazer isso - exatamente na semana que se completou um ano daquele episódio em Mogi, quando eu ainda vestia a camisa que esse garoto veste em sua foto de perfil - mas estou postando aqui para mostrar a vocês a cara de quem pratica esse tipo de ato e, ao mesmo tempo, dizer que essa atitude não me afeta. Só me dá a certeza de que tive uma boa criação e educação em casa.

Suei muito e sacrifiquei muita coisa pra construir a minha carreira e o meu nome. Não vou dar cartaz pra quem quer aparecer em cima disso e dessa forma, apesar de esse sujeito já ter tido seus 15 minutos de "fama". O melhor é não dar espaço. Por isso, deixo claro que esse será meu primeiro e único pronunciamento a respeito desse assunto."

Mais conteúdo sobre:
futebol Palmeiras Racismo Arouca Santos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.