Washington Alves|Divulgação
Washington Alves|Divulgação

Arrascaeta espera melhora defensiva no Cruzeiro após chegada de Mano

Meia argentino acredita que treinador pode reorganizar a equipe

Estadão Conteúdo

28 de julho de 2016 | 18h30

O técnico Mano Menezes chegou ao Cruzeiro sob a esperança da torcida e da diretoria de que resgatará o clube deste péssimo momento que vive na temporada. Os jogadores já conhecem o trabalho do treinador desde o ano passado e também mostram confiança na reação. O meia Arrascaeta, por exemplo, falou sobre a expectativa de evolução, principalmente na parte defensiva, com o novo comandante.

"Cada treinador tem sua tática e forma de trabalhar. O Mano trabalha muito bem a parte defensiva e o grupo fica bem organizado. Para atacar, temos jogadores que podem desequilibrar em qualquer momento do jogo", disse. "Conhecemos ele e ele nos conhece. Tem alguns jogadores novos aqui, mas outros tantos ele conhece. Esperamos que dê certo e passamos a ganhar."

No ano passado, Mano assumiu o Cruzeiro pela primeira vez em situação parecida. Na época, o time também fazia péssima campanha no Brasileirão, mas emendou uma boa sequência de resultados e terminou a competição com tranquilidade. Arrascaeta confia que a história possa se repetir, mas admite que para isso a equipe precisa de mais regularidade.

"Temos que mudar para obter resultados positivos. Até agora estamos fazendo alguns jogos bons, outros nem tanto. No último merecíamos ganhar, tivemos oportunidades e não ganhamos. Mas assim é o futebol", avaliou. "Na situação que estamos agora, temos que ir jogo a jogo, encarar cada partida como uma final. Temos que sair da zona difícil em que estamos."

O meia uruguaio espera uma nova atitude cruzeirense já neste domingo, quando o Cruzeiro viaja para encarar o Santos na Vila Belmiro. "Agora temos o Santos e vamos atrás dos três pontos", prometeu.

Tudo o que sabemos sobre:
Mano MenezesCruzeiroSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.