Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Arrascaeta vê o Flamengo preparado para sequência decisiva nos próximos dias

Rubro-negro encara Internacional e São Paulo pelo Brasileiro, e na próxima semana inicia as semifinais da Libertadores contra o Grêmio

Redação, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2019 | 11h44

Nos próximos dias, o Flamengo terá uma sequência de jogos que pode ser considerada como a mais decisiva da temporada. Pelo Campeonato Brasileiro, na qual está na liderança com 45 pontos, joga nesta quarta-feira e no sábado contra Internacional e São Paulo, respectivamente, que estão no G-6 - a zona de classificação à Copa Libertadores. E na outra quarta, em Porto Alegre, começará as semifinais da competição continental contra o Grêmio.

Um dos destaques do time rubro-negro, o meia Arrascaeta vê o Flamengo preparado para suportar e superar esta série de partidas decisivas em tão pouco tempo. "Sobre a sequência, todo mundo tem que estar preparado para jogar, o Mister (técnico português Jorge Jesus) vai precisar de todo mundo. Obviamente, por a gente ter jogado três jogos, já conhece o time deles. Vai ser muito duro, teremos que estar muito focados para sair com os três pontos", disse em entrevista coletiva nesta terça-feira, no CT Ninho do Urubu, dando mais ênfase ao duelo contra o Internacional.

Na briga pela liderança do Brasileirão, o Flamengo tem a concorrência mais próxima do Palmeiras, com três pontos a menos. Arrascaeta ressaltou que o time tem de jogar muito mais agora para se manter na ponta da tabela de classificação do que foi para chegar nela.

"Foi muito difícil chegar a ser primeiro, acho que vai ser ainda mais se manter agora. Nosso grupo tem que estar focado nisso, todo mundo preparado para jogar. Teremos uma sequência de jogos fortes que vamos precisar ganhar. Tem grandes equipes perto da gente, mas para nós sempre é importante ir jogo a jogo, sabendo que temos possibilidade de seguir lá na frente", afirmou o uruguaio.

Na Libertadores, Arrascaeta busca o seu primeiro título, que quase veio há cinco anos. Em 2014, quando tinha apenas 20 anos e era uma das sensações do Defensor, do Uruguai, o meia chegou às semifinais, mas foi eliminado pelo Nacional, do Paraguai: perdeu o jogo de ida por 2 a 0 e venceu em casa por 1 a 0.

"É um sonho que tenho de novinho tentar ganhar uma Libertadores. Cheguei em uma semifinal com o Defensor Sporting, do Uruguai, mas infelizmente ficamos fora. Então agora quero ter essa revanche e tentar pegar uma vaga na final", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.