Divulgação
Divulgação

Arsenal anuncia retorno do meia Flamini após 5 anos

Flamini explicou sua opção pelo retorno dizendo que tinha "negócios inacabados" com o Arsenal

AE, Agência Estado

29 de agosto de 2013 | 14h41

LONDRES - Como de costume, o Arsenal não tem feito negócios mirabolantes na atual janela para transferências, e nesta quinta-feira o clube anunciou mais uma contratação discreta, sem grande alarde. O reforço, aliás, é um velho conhecido: o meia francês Mathieu Flamini, de 29 anos, que volta ao time inglês após cinco temporadas atuando pelo Milan, com quem tinha contrato até a última temporada.

Flamini começou a carreira no Olympique de Marselha, mas chegou ao Arsenal ainda jovem, com 20 anos, em 2004. No clube inglês ficou por quatro temporadas, nas quais disputou 153 partidas, e conquistou a Copa da Inglaterra em 2005. Em 2008, foi para o Milan, onde não conseguiu se firmar como titular, mas atuou em 122 partidas, conquistando um título Italiano em 2010/2011.

"Estamos muito felizes que o Flamini tenha decidido voltar ao Arsenal. É um jogador de muita qualidade, com um ótimo nível de trabalho e grande mentalidade. Como sabemos, Mathieu é um meio de campo forte, mas também sabe jogar na defesa. Ele é uma ótima contratação para o elenco", disse o técnico Arsène Wenger.

O treinador, aliás, vem sendo criticado pela falta de ousadia na busca por jogadores e havia prometido novos reforços à torcida, já que o único que havia sido contratado até então era o desconhecido atacante Yaya Sanogo. Flamini explicou sua opção pelo retorno dizendo que tinha "negócios inacabados" com o Arsenal.

"É bom voltar para cara. Tenho alguns negócios inacabados com o Arsenal, então é um ótimo sentimento voltar", declarou. "Negócios inacabados porque tivemos a oportunidade em alguns momentos em que estive lá de ganhar troféus, mas desperdiçamos", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolArsenalFlamini

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.