Bogdan Maran/AP
Bogdan Maran/AP

Arsenal não tinha como segurar Van Persie, diz Wenger

'Não tínhamos escolha', admitiu treinador

AE, Agência Estado

16 de agosto de 2012 | 09h53

LONDRES - A venda do atacante holandês Robin van Persie para o rival Manchester United, concretizada na quarta-feira, revoltou os torcedores do Arsenal. Mas, segundo o treinador da equipe, o francês Arsene Wenger, não havia como segurar o jogador. "Não tínhamos escolha", admitiu.

Como Van Persie tinha apenas mais um ano de contrato e já havia manifestado seu desejo de ir embora, o Arsenal podia vendê-lo agora ou vê-lo ficar mais uma temporada, insatisfeito, para acabar saindo de graça em 2013. Diante desse cenário, o clube fechou negócio.

Os valores da venda não foram divulgados oficialmente, mas o Manchester United teria pagado cerca de US$ 31 milhões para tirar o principal jogador do rival. "Nunca é bom perder grandes jogadores, mas ele só tinha um ano de contrato e não tínhamos escolha", lamentou Wenger.

O técnico francês garantiu, no entanto, que o Arsenal vinha se preparando para ficar sem o atacante holandês. "Nós já contratamos Giroud e Podolski para compensar a saída de Van Persie", revelou Wenger, citando dois reforços para o ataque que chegaram recentemente.

Van Persie, de 29 anos, iniciou a sua carreira no Feyenoord e foi contratado pelo Arsenal em 2004. Desde então, foi figura importante do clube londrino, onde foi artilheiro e capitão. Agora, ele deve fazer uma poderosa dupla com Rooney no Manchester United.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.