Kirsty Wigglesworth/AP
Kirsty Wigglesworth/AP

Arsenal vence Manchester City na prorrogação e vai à final da Copa da Inglaterra

Alexis Sanchez marca o gol salvador que leva os Gunners à decisão contra o Chelsea

Estadão Conteudo

23 de abril de 2017 | 14h10

A decisão da Copa da Inglaterra na temporada 2016/2017 será toda londrina. Depois de o Chelsea avançar no último sábado diante do Tottenham, o Arsenal garantiu a sua presença na decisão ao superar o Manchester City por 2 a 1, neste domingo, no Estádio de Wembley, em duelo definido apenas na prorrogação.


Agora, o Arsenal tentará se isolar como o maior vencedor da história da Copa da Inglaterra, com 13 títulos - soma 12, empatado com o Manchester United. A decisão será a 20ª do time, enquanto o Chelsea, sete vezes campeão, jogará a 12ª final da sua história. E a partida está agendada para 27 de maio, também em Wembley.



Havia a expectativa de que Gabriel Jesus fosse aproveitado na partida, mas embora o brasileiro, recuperado de lesão, tenha viajado para Londres, não foi relacionado pelo técnico Pep Guardiola para ficar no banco de reservas. Ainda assim, o time teve outro brasileiro entre os titulares - Fernandinho, que foi substituído pelo compatriota Fernando. Já no Arsenal, Gabriel Paulista começou jogando.


O primeiro tempo da partida deste domingo foi dominado pelo Manchester City, que teve mais posse de bola e criou algumas oportunidades. Mas os gols começaram a sair apenas na etapa final, após 45 minutos de reclamações sobre a arbitragem, que anulou erroneamente um gol de Agüero. Além disso, o Arsenal lamentou um pênalti não marcado em Alexis Sánchez.


No segundo tempo, o Manchester City abriu o placar aos 17 minutos em um rápido contra-ataque. A jogada começou com Yaya Touré, que roubou a bola de Ramsey e lançou Agüero, que avançou em velocidade e tocou por cima de Cech. O Arsenal reagiu pouco depois e arrancou o empate aos 26, com Nacho Monreal, que finalizou após cruzamento de Chamberlain.


O Manchester City parou duas vezes na trave no final do segundo tempo, em finalizações de Yaya Touré e Fernandinho, e o duelo foi para a prorrogação. Na primeira etapa do tempo extra, aos dez minutos, Özil cobrou falta, Koscielny cabeceou para o meio, Welbeck furou, Clichy não conseguiu afastar e Sánchez pegou a sobra para marcar o gol da classificação do Arsenal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.