Divulgação/Fifa
Divulgação/Fifa

Arsène Wenger é o novo chefe de desenvolvimento global de futebol da Fifa

'Estou muito satisfeito em recebê-lo na equipe', diz Gianni Infantini ao apresentá-lo no cargo nesta quarta-feira, em Zurique

Redação, Estadão Conteúdo

13 de novembro de 2019 | 17h56

Arsène Wenger foi apresentado, nesta quarta-feira, como o novo chefe de desenvolvimento global do futebol da Fifa. O técnico francês foi recebido pelo presidente da entidade, Gianni Infantino, na sede da entidade em Zurique.

Wenger será o responsável por supervisionar e impulsionar o crescimento e desenvolvimento do futebol para homens e mulheres em todo o mundo. Ele será a autoridade em questões técnicas, tomada de decisões sobre possíveis alterações nas leis do jogo e no incentivo de ex-jogadores profissionais a ingressar na administração dos clubes.

O francês está sem trabalhar como técnico desde o final da temporada 2017/2018, quando deixou o comando do Arsenal, clube que ele dirigiu durante 22 anos (de 1996 a 2018) e pelo qual conquistou três edições do Campeonato Inglês (uma delas de forma invicta, em 2003/2004) e sete taças da Copa da Inglaterra.

E o técnico, de 70 anos, Wenger mostrou-se "ansioso para enfrentar um desafio extremamente importante", que foi desempenhado anteriormente pelo croata Zvonimir Boban. "Sempre me interessei em analisar o futebol de uma perspectiva mais ampla. Sei que posso contribuir para esse objetivo e colocarei toda a minha energia nisso", disse.

"O profundo conhecimento e paixão de Arsène Wenger pelos diferentes aspectos de nosso jogo o diferenciam como uma das personalidades mais respeitadas do futebol. Estou muito satisfeito em recebê-lo na equipe. Desde que cheguei à presidência a Fifa colocou o futebol no centro de nossa missão, buscando aprender com quem conhece o esporte de dentro para fora: Arsène é alguém que, com sua visão estratégica, competência e trabalho duro, dedicou sua vida ao futebol. apenas mais um exemplo de como continuamos fortalecendo nosso propósito de trazer a Fifa de volta ao futebol e o futebol de volta à Fifa", afirmou Infantino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.