Rubens Chiri | saopaulofc.net
Rubens Chiri | saopaulofc.net

Artilheiro do São Paulo na temporada, Gilberto só pensa em ajudar

Jogador vê concorrência no ataque do time como algo bom

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

26 Fevereiro 2017 | 07h05

Artilheiro do São Paulo na temporada, o atacante Gilberto mais uma vez fez a diferença quando entrou em campo. Ele marcou o primeiro e deu a assistência para o segundo gol do time no empate com o Novorizontino por 2 a 2, neste sábado, pelo Campeonato Paulista, e chegou a cinco gols no ano. "É bom para o São Paulo, estou feliz aqui e tenho de trabalhar para mostrar meu futebol. Fui feliz em fazer o gol agora", disse.

O jogador tem consciência de que não é titular da equipe após a chegada de Lucas Pratto, contratação mais cara do São Paulo na temporada. Mas ele frisa que os objetivos pessoais de um jogador não podem ser colocados acima do time, ou seja, para ele, é mais importante o clube vencer do que ele marcar gols. "A concorrência é forte", avisou.

O técnico Rogério Ceni sabe que pode contar com ele sempre que for preciso e em toda entrevista faz questão de citar outro reserva que pode jogar centralizado no ataque, o argentino Chávez. Para o treinador, independentemente de quem estiver em campo o São Paulo estará bem representado.

"Eu tenho três jogadores que têm gol no campeonato, que jogam de 9. O Chávez ficou uma semana praticamente na fisioterapia, não vejo condições de jogar uma partida toda. Por isso escolhi o Gilberto, que está numa condição melhor. O Chávez sentiu pela fibrose, agora recuperou, e ainda não posso colocar. E o Gilberto foi muito bem, lutou muito, como o Pratto. Só tenho elogio aos três", afirmou.

Para Gilberto, o importante é entrar e sempre deixar o técnico em dúvida para o jogo seguinte. "O Pratto e o Chávez são jogadores que já mostraram que são muito bons, que sabem fazer gols. Então tenho de entrar, para que eu possa continuar essa caminhada e ajudar o São Paulo. Nós trabalhamos para isso. E colocamos na cabeça do Rogério a dúvida, pois quem jogar vai tentar fazer os gols. Estou feliz com o trabalho", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.