Artilheiro do Sub-20, Neymar quer título e paz

Principal astro do Campeonato Sul-Americano Sub-20, o atacante Neymar já tem a artilharia da competição praticamente garantida. Nas seis vezes que entrou em campo, marcou sete gols. Ser o principal goleador do torneio, porém, é detalhe para o santista. Ele quer o título.

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2011 | 20h08

"O que é importante para mim não é terminar como artilheiro, mas ver a seleção campeã. Isso me daria paz", justificou o atacante, que disse estar satisfeito com seu desempenho no Sul-Americano: "Estou muito feliz com o que estou fazendo no campeonato. Estou sendo reconhecido por todo o mundo", comemorou. Recentemente, Real Madrid, Barcelona e Juventus surgiram como possíveis interessados no jovem brasileiro.

No que depender do atacante, o Brasil será campeão e ele se tornará o maior artilheiro brasileiro de uma edição do torneio: "O campeonato ainda não acabou. Temos uma última partida e espero marcar um gol para que a seleção seja campeã", afirmou. Se balançar a rede mais uma vez, o santista chega a oito gols, mesma marca atingida por Adaílton, em 1997.

Neymar atribuiu ao "calor das partidas", os seus constantes problemas com as arbitragens no Sul-Americano. O jovem levou três cartões amarelos no torneio e não pegou o Equador no último jogo da seleção brasileira porque estava suspenso.

Ainda assim, recebeu elogios do técnico Ney Franco, que acredita que Neymar amadureceu no torneio. "Ele é um dos melhores jogadores do campeonato e com certeza vai ser importante para o Brasil no futuro. Espero que termine bem o Sul-Americano no sábado".

Para ser campeão, o Brasil precisa de uma vitória simples sobre o Uruguai, no sábado. Um empate dá o título para os uruguaios, mas classifica os comandados de Ney Franco para a Olimpíada de Londres. A vaga pode vir até em caso de derrota, caso a Argentina não tire uma diferença de seis gols de saldo de gols. Como os argentinos pegam a Colômbia mais cedo, o Brasil pode até já entrar em campo com a vaga assegurada.

"Mais que uma obsessão, a vaga olímpica é uma necessidade para o Brasil", afirmou Ney Franco. O Brasil nunca conquistou uma medalha de ouro olímpica no futebol. Foi prata em 1984 e em 1988. Em Pequim, ficou com o bronze.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.