Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Artilheiro e autor de gol no turno, Sánchez deve voltar ao Santos contra o Bahia

Embora seja um dos destaques do time na temporada, uruguaio ficou no banco de reservas no clássico com o Corinthians

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2019 | 09h31

A volta do seu artilheiro e autor do gol do triunfo sobre o Bahia no primeiro turno do Campeonato Brasileiro deverá ser uma das novidades da escalação do Santos para o reencontro com o time dirigido por Roger Machado, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro. Se trata do meio-campista Carlos Sánchez, que não foi aproveitado no clássico contra o Corinthians, no último sábado, em Itaquera.

Em sua segunda temporada no Santos, Sánchez carrega números que o tornam uma das figuras mais importantes do elenco dirigido por Jorge Sampaoli. Afinal, é o artilheiro do time em 2019 com 14 gols marcados. E só atuou menos vezes do que o volante Diego Pituca, que está lesionado e disputou 49 jogos, dois a mais do que o uruguaio e o zagueiro Gustavo Henrique. Mas o argentino optou por não usá-lo no fim de semana, o mantendo no banco de reservas nos 90 minutos do empate por 0 a 0.

Até por estar descansado, Sánchez deverá retornar ao time titular diante do Bahia. Além disso, o Santos está em jejum de dois jogos sem fazer gols no Brasileirão. E foi exatamente dele o gol no triunfo no estádio de Pituaçu, por 1 a 0, em 13 de julho, quando marcou no rebote da sua cobrança de pênalti defendida por Douglas Friedrich.

"A partida do primeiro turno foi difícil. Não conseguimos fazer um bom primeiro tempo, mas fizemos um grande trabalho na etapa final. Buscamos o gol e ele só saiu no final, mas ficamos felizes por termos ganhado. O Bahia tem um time difícil, que se defende bem e sai no contra-ataque muito bem. Tem jogadores muito bons. Será um jogo difícil, como todos. Eles têm um padrão de jogo já definido há algum tempo e temos que ter tranquilidade para buscar a vitória. Sempre trabalhamos para isso", disse, ao site oficial do Santos.

No confronto do primeiro turno, o gol de Sánchez saiu apenas aos 42 minutos da etapa final. E com dificuldade na produção ofensiva, o Santos não marca na etapa inicial de uma partida desde 9 de outubro, quando o time fez 2 a 0 no Palmeiras, na Vila Belmiro.

Sánchez sonha com um cenário diferente, pois admite que a demora para marcar gols poderá deixar o Santos pressionado no duelo com o Bahia. "Ter tranquilidade é muito importante. Queremos fazer um gol cedo para dar ainda mais tranquilidade no nosso jogo. Sabemos que temos jogadores importantes que podem fazer a diferença. Temos que manter a concentração para errar o mínimo possível e marcar um gol para seguirmos calmos", completou.

Para Entender

Programação de tv

Veja as principais atrações esportivas do dia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.