Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Às vésperas de clássico, Brasil ainda não tem goleiro titular definido

Cássio, do Corinthians, deve começar jogando contra Argentina

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

10 de novembro de 2015 | 08h24

A seleção brasileira chega às vésperas do jogo contra o Argentina, quinta-feira, em Buenos Aires, pela terceira rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo, ainda sem o seu goleiro titular definido. Em pouco mais de um ano no cargo, Dunga já convocou sete goleiros diferentes: Jefferson, Alisson, Cássio, Diego Alves, Marcelo Grohe, Neto e Rafael. Barrado do último jogo contra a Venezuela, Jefferson corre o risco de ficar no banco mais uma vez. Cássio desponta como provável surpresa para a partida em Buenos Aires.

No primeiro treino da seleção, realizado na tarde de segunda-feira no CT do Corinthians, Dunga não deu pistas de quem será o titular. Primeiro, o preparador de goleiros Taffarel trabalhou chutes de curta e média distância com Jefferson, Alisson e Cássio. Depois, o treinador separou dois times com cinco jogadores de linha sem definição de titulares e reservas. Cássio ficou no gol de um lado e Jefferson do outro. No final, Alisson entrou no lugar de Jefferson.

Dos 17 jogos que a seleção disputou sob o comando de Dunga após a Copa do Mundo de 2014, Jefferson foi titular em 13. O treinador, no entanto, não aprovou a atuação do goleiro na partida contra o Chile, na primeira rodada das Eliminatórias e, então, escalou Alisson para começar jogando contra a Venezuela. À época, o treinador justificou a escolha porque o goleiro do Internacional é melhor nas jogadas pelo alto, uma das principais características da seleção venezuelana.

A definição do goleiro titular da seleção para a partida contra a Argentina deve sair no treino desta terça-feira. Às 17 horas, a equipe volta a trabalhar no CT do Corinthians. O último treino antes do jogo será na quarta-feira pela manhã no Itaquerão.

Cássio vive grande fase no Corinthians e retorna à seleção depois três anos. A sua última convocação havia sido em 2012, com o técnico Mano Menezes. Em recente entrevista, o goleiro disse que se achava o melhor goleiro do País por defender o time menos vazado e líder do Campeonato Brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.