Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Às vésperas do Mundial, Abel Ferreira tira peso do Palmeiras e critica calendário

Treinador reforça o discurso de que sua equipe é um dos clubes com mais jogos na temporada

Redação, Estadão Conteúdo

02 de fevereiro de 2021 | 19h58

O técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, usou a entrevista coletiva, após o empate diante do Botafogo por 1 a 1, no Allianz Parque, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, para diminuir a pressão sobre o time às vésperas da disputa do Mundial de Clubes, no Catar, ao criticar o calendário brasileiro.

"Eu já disse que o Palmeiras é um dos clubes com mais jogos. Estou cansado de falar nisso, as perguntas batem no mesmo, temos de estudar um pouco para fazer boas perguntas também. Vamos preparar, recuperar, tivemos um dia para repor, o mais importante era que ninguém se lesionasse e tivemos oportunidades para ganhar o jogo. Parabéns pelo que sofremos, pela equipe que temos, pela juventude e experiência. Sabíamos que ia ser um jogo difícil", disse o treinador sobre o confronto com o lanterna do campeonato, que vinha de seis derrotas consecutivas.

"Temos de pensar por que Copa é sempre dois jogos aqui, por que temos ida e volta?", afirmou Abel, referindo-se ao fato de a decisão da Copa do Brasil ser em dois duelos, com ocorrerá frente ao Grêmio em 28 de fevereiro, em Porto Alegre, e 7 de março, em São Paulo.

O treinador português também revelou que a preparação para o jogo desta terça-feira não foi a adequada por causa das festividades pelo título da Copa Libertadores, sábado, no Maracanã. "Depois da conquista que tivemos, muito importante para todos nós, quebramos a regra das 24h (de comemoração) e a preparação não foi a melhor, sabemos disso. As coisas no campeonato estão muito difíceis, somos criticados quando buscamos o primeiro lugar com a equipe para buscar resultado, perguntando por que não poupar para a final da Libertadores. Fomos criticados em dezembro por rodar a equipe e conseguirmos aguentar."

Abel fez questão de contar como foram as horas que separaram a conquista da Libertadores até o jogo com o Botafogo. "Nas condições que temos, não é de agora, temos uma equipe muito curta, mas a preparação para o jogo não foi a melhor. Deitamos às 4h ou 5h da manhã (de domingo), quem jogou estava extremamente cansado do jogo e os rapazes nesta terça fizeram o que poderiam. Sabiam que ia ter de sobrar este jogo para quem não tinha jogado. Foi difícil, mas tivemos oportunidades suficiente para matar o jogo, especialmente na primeira parte e não podemos falhar neste nível", afirmou o técnico. A eficácia é muito importante no futebol."

Sexto colocado, com 53 pontos, o Palmeiras vai para o Catar nesta noite de terça-feira para disputar a semifinal do Mundial no domingo. Caso vença Tigres ou Ulsan Hyundai, o time vai jogar a final no dia 11.

Volta de Doha e vai ter uma maratona de jogos na segunda metade de fevereiro. Serão sete jogos a disputar, com cinco pelo Campeonato Brasileiro e as duas finais da Copa do Brasil contra o Grêmio, em 28 de fevereiro e 7 de março.

No Brasileiro, o Palmeiras vai enfrentar o Fortaleza (dia 14), Coritiba (17), São Paulo (19), Atlético-GO (22) e Alético-MG (25).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.