ASA tira Palmeiras da Copa do Brasil

Vergonha. A eliminação do Palmeiras na Copa do Brasil para o ASA de Arapiraca foi encarada dessa maneira pelos cerca de 8 mil torcedores que compareceram nesta quarta-feira ao Palestra Itália. A vitória por 2 a 1 não garantiu a vaga, pois o time paulista havia perdido em Alagoas por 1 a 0. A desclassificação foi, sem dúvida, uma das mais vexatórias de toda a história do clube. Nunca o Palmeiras havia caído na primeira fase dessa competição.A torcida pediu a saída do presidente Mustafá Contursi e criticou principalmente o meia Alex. "Os torcedores têm razão de reclamar", reconheceu Alex. "Foi feia, mas não a maior derrota da minha carreira", afirmou o goleiro Marcos.Os jogadores do ASA comemoraram como se tivessem conquistado um título mundial. "Foi uma grande surpresa, ninguém acreditava", declarou o eufórico Ivan, saudado por aproximadamente 200 alagoanos que foram ao estádio. Agora, o time de Arapiraca enfrenta o Confiança-SE na segunda fase da Copa do Brasil.O técnico Vanderlei Luxemburgo pôs em campo três volantes, Fernando, Magrão e Galeano, que jogou como um líbero. Número excessivo de jogadores de marcação para uma equipe que precisava vencer por pelo menos dois gols de diferença em casa. O presidente Mustafá Contursi chegou a manifestar na terça-feira a sua insatisfação com o esquema e, hoje, ficou irritadíssimo com a atuação do Palmeiras. Não apenas ele, mas muitos conselheiros que estavam nas tribunas do Palestra Itália.O treinador palmeirense alegou ter adotado a tática para dar liberdade aos laterais Arce a Adauto. Sua tentativa fracassou. A equipe jogou muito mal e não conseguia criar jogadas. As oportunidades de gol só apareciam em cobranças de falta e escanteio de Arce. E foi assim que saiu o primeiro gol, aos 10 minutos. O paraguaio bateu falta e Galeano desviou de cabeça.Mesmo com a vantagem no placar, o Palmeiras demonstrava nervosismo e errava muitos passes. Alex, contratado a peso de ouro, teve péssimo desempenho. Não acertou nada e foi vaiado pelos torcedores. E algo que parecia pouco provável ocorreu. O ASA, que levava perigo nos contra-ataques, conseguiu o empate aos 42 minutos. Juninho driblou Adauto e, de dentro da área, chutou. Marcos salvou, mas Sandro Goiano marcou no rebote: 1 a 1.Logo no início da segunda etapa, Marcos evitou o segundo gol, fazendo grande defesa. Em seguida, Jânio foi expulso e facilitou a vida do Palmeiras. Luxemburgo mudou tudo e pôs Juliano, Fernandes e Muñoz. A equipe paulista, no entanto, não era capaz de furar o bloqueio adversário. O goleiro Márcio fazia boas defesas e os atacantes palmeirenses falhavam nas finalizações.O estreante zagueiro César, que jogou bem, ainda marcou o segundo gol do Palmeiras, aproveitando mais um cruzamento de Arce aos 23 minutos, mas foi só. Faltou criatividade e competência ao líder do Torneio Rio-São Paulo para derrubar o ASA de Arapiraca em pleno Palestra Itália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.