Assinado acordo das transferências

Dirigentes da União Européia, da Fifa (Federação Internacional de Futebol) e da Uefa (União Européia de Futebol) assinaram neste sábado em Estocolmo, na Suécia, o acordo que vai reger as novas regras sobre transações de jogadores no continente. Os presidentes da Uefa, Lennart Johansson, da Fifa, Joseph Blatter, além do primeiro-ministro sueco e atual presidente do Conselho Europeu, Goeran Persson, e Romano Prodi, na Comissão Européia, estiveram presentes na reunião. No início do mês, as partes já haviam chegado a uma definição, após seis meses de negociações, já que Bruxelas considerava que o acordo anterior não se adequava as suas normas. "Este acordo significará um passo à frente para o futebol e para o futuro dos jovens jogadores", disse o presidente Blatter. Entre os principais pontos determinados aprovados, destacam-se os seguintes:- Os contratos terão duração mínima de um ano e máxima de cinco- Caso um jogador tenha um contrato de cinco anos e não tenha mais do que 28 anos, deverá cumprir pelo menos três anos de contrato. Caso tenha idade superior a 28 anos, cumprirá apenas dois.- Caso um jogador ou clube rescindam um contrato unilateralmente, terão que pagar uma multa.- O jogador poderá negociar sua saída de algum clube apenas uma vez ao ano, ao final de cada temporada, mas existirá um período na metade das ligas européias na qual negociações poderão ser realizadas.- Pelo sistema adotado, o rompimento dos contratos somente poderá ser feito ao final da temporada.- As multas esportivas a jogadores, clubes ou intermediários que rescindam contratos sem uma justa causa serão proporcionais.- Se um jogador com um contrato de cinco anos decidir abandonar o clube, passado o primeiro ano de vínculo, sofrerá uma punição esportiva de quatro meses. Caso tome tal atitude no segundo ano do contrato, a sanção será de seis meses.- Para os jogadores com menos de 23 anos, será estabelecido um sistema de compensação dirigido aos clubes responsáveis pela sua formação.- Caso um jogador tenha menos de 18 anos, poderá ser negociado com as autoridades do futebol, sob certas condições, estabelecendo um código de conduta que vai garantir sua formação esportiva e acadêmica.O código também estabeleceu a criação de um órgão de arbitragem formado por representantes de jogadores e clubes, e com um presidente independente. O presidente da Fifa, Joseph Blatter, aproveitou a reunião para anunciar que, a partir do dia 29, as regras determinadas passarão a ser aplicadas, ainda que várias delas não sejam do agrado do Sindicato Internacional dos Jogadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.