Assistente de Klinsmann critica postura defensiva de rival

O assistente técnico da seleção da Alemanha, Joachim Löw, disse neste sábado que ficou surpreso com a decisão do treinador da Argentina, José Pekerman, de não colocar em campo, na partida válida pelas quartas-de-final entre Alemanha e Argentina, os jovens atacantes Lionel Messi e Javier Saviola. Para ele, as substituições realizadas pelo rival sinalizaram uma atitude defensiva, e a Alemanha buscou tomar partido da situação. "Nós respeitamos muito tanto o Messi como o Saviola. E se eles tivessem o Messi em campo, eles poderiam contra-atacar, porque ele é rápido, um ótimo driblador, e teria sido um grande perigo para nós". Löw analisou a postura adotada pelo rival. "Eles optaram por um jogador mais defensivo para o lugar de Riquelme. E, além disso, substituíram Crespo por um atacante com as mesmas características. Foi nesse momento que soubemos que a Argentina estava se resguardando, e que teríamos que tirar proveito disso".

Agencia Estado,

01 Julho 2006 | 06h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.