Dylan Martínez / Reuters
Dylan Martínez / Reuters

Assistente técnico do Chelsea que provocou Mourinho é denunciado e pode ser punido

FA considera que Marco Ianni teve conduta imprópria após gol de empate do Chelsea contra o Manchester United

O Estado de S.Paulo

22 Outubro 2018 | 13h00

Marco Ianni, assistente técnico de Maurizio Sarri no Chelsea, será julgado por "comportamento impróprio", após provocar José Mourinho, técnico do Manchester United, quando Barkley empatou a partida entre os dois times no último sábado, pelo Campeonato Inglês.

Ianni comemorou o gol no último minuto efusivamente na frente de Mourinho e ofendeu o treinador adversário, que foi para cima e discutiu. A briga continuou no vestiário, mas depois, na coletiva, ambos os treinadores trataram de pôr panos quentes na situação. Sarri assumiu que o seu assistente estava errado e os dois pediram desculpas; Mourinho as aceitou e afirmou que Ianni merece uma segunda chance.

Em comunicado, a Football Association (FA), que regula o futebol na Inglaterra, informou que Ianni será denunciado, já que seu comportamento no 96º minuto de jogo constituiu conduta imprópria, e que ele tem até as seis horas de quinta feira, dia 25, para responder à acusação e tentar evitar receber alguma punição.

Mourinho foi "formalmente relembrado" de suas responsabilidades dentro da área técnica pela entidade, mas não será oferecida uma denúncia contra o técnico português.

O empate em 2 a 2 na partida foi ruim para os dois lados. O Chelsea viu o Manchester City e o Liverpool vencerem e chegarem a 23 pontos, dois a mais que o time de Londres na liderança, enquanto o United, que saiu atrás e conseguiu virar para 2 a 1, segue apenas no décimo lugar da tabela, com 14 pontos.

Agora, o Manchester United enfrenta a Juventus pela terceira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões; na próxima rodada do Campeonato Inglês, recebe o Everton em casa. Já o Chelsea enfrenta o BATE Borisov pela Liga Europa e depois sai para enfrentar o Burnley no torneio nacional.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.